Dependemos 100% da Natureza


Não é, por acaso, um paradoxo que há partes microscópicas de nós que sobrevivem eternamente e que são, essas mesmas microzimas, as responsáveis pela manutenção da vida e também pela morte e dissolução?
Parece evidente que não podemos mudar o funcionamento e os fundamentos do universo, mas podemos conhecer a Lei e, ao segui-la receber tudo o que a vida oferece.
A tentativa de mudar o mundo, sem compreende-lo é desastroso em todos os sentidos. É uma interferência no meio necessário a vida e um desvio do objetivo, que é um caminho para dentro e não para fora.

  1. Plantas, animais e o Homem, dependem dos micróbios.
  2. As plantas produzem, literalmente, tudo o que precisamos: alimentos, enzimas, vitaminas, sais minerais absorvíveis, OXIGÊNIO, regulam a temperatura, solo, regime de águas e chuvas – são o maior e mais fantástico laboratório imaginável.
  3. Os animais são os nossos precursores. Sem eles o experimento humano não seria possível. Gestaram o organismo humano. Somos 95% animais. O laboratório divino para desenvolver o Homem, foram eles.
  4. O universo, o planeta – dependemos de tudo e, ainda, somos mais fracos que os elementos e seres que nos cercam e fazem a vida possível.
  5. E, mesmo assim, podemos conscientemente, voluntariamente, e pela razão “gerenciar”, cuidar dessa imensa fazenda de vida, enquanto evoluímos psíquica e espiritualmente.
    Quem pode conceber que devemos mudar alguma coisa na nossa ignorância, forçando e destruindo tudo pelo caminho para satisfazer nossos desejos insanos?
    Sem compreender, sem ter concebido o que é esse todo interdependente e nossa própria tarefa e meta vamos assaltando, matando, estuprando, envenenando tudo. É muita pretensão, orgulho e prepotência.
    Não vejo que seja possível parar essa locomotiva enlouquecida a toda velocidade. A única questão é tentar sobreviver e se preservar e isso não pode ser feito 1. desistindo dos altos ideais, 2. compactuando com o crime contra a vida ou mesmo, 3. pela revolução, tentar parar esse processo de destruição.
    É necessário buscar a Lei e segui-la – esse é o 4⁰ caminho. E para isso, só um êxodo racional pode salvar alguns para a reconstrução futura.

Qual a nossa verdadeira origem?


Precisamos fazer uma viagem do fim para o começo. O que se sabe, através de fatos comprovados é que na dissolução, na assim chamada “morte”, tudo é reduzido aos elementos básicos, os quais são permanentes e inalteráveis – as microzimas!
Tudo é reduzido, de dentro, até que restam os elementos básicos que formaram o ser quando vivo. Plantas, animais e homens sofrem esse processo controlado e comandado desde dentro e isso é um fato conhecido e indiscutível. Não são, absolutamente, bactérias, fungos e outros que estão fora e pousando sobre o corpo morto, o reduzem e dissolvem. São enzimas e microrganismos do próprio organismo, quando em vida, que antes trabalhavam pela e para a vida e, quando o terreno se altera, passam a destrui-lo. O que resta após tudo e não pode mais ser reduzido, são as microzimas e essas, guardam sua condição de fermentar um meio nutritivo mesmo depois de milhões de anos em um estado de latência, de “espera”.
Já se definiu a morte como a saída da alma do corpo, que então, perdendo sua fonte sensível e de coesão, se desfaz desde dentro.
É evidente que um novo corpo, uma planta, um animal ou um homem não pode se erguer daquilo que restou da dissolução, mas esses pequenos fermentos continuam “vivos” sob quaisquer condições, as mais extremas, e podem fermentar e evoluir em bactérias, fungos e fermentos se as condições básicas para a vida se apresentarem.
Somos constituídos de mais micróbios e genes do que de células próprias e esses, “micróbios”, incluídos os vírus, são de origem interna!
Sim, nós morremos, temos um ciclo de vida, mas os elementos básicos que nos constituem, permanecem, são indestrutíveis e continuam vivos e capazes de evoluir em formas de vida simples, as quais chamamos pejorativamente de “gérmens”. Continuamos eternamente vivos neles, de certa maneira.
Um homem só vem de outro homem, um animal de outro da mesma espécie e assim com as plantas. Mas, os elementos básicos que os constituem não se perdem jamais. Essa capacidade exclusiva dos microrganismo de evoluírem em formas e funções diferentes indicam que, diferente de espécies visíveis aos sentidos, como os animais, plantas e o Homem isso não ocorre. Nascemos e morremos aparentemente como o mesmo corpo, não importam as condições. Ora, os microrganismos, mesmo as nossas células, bem maiores do que eles, e ainda invisíveis aos nossos sentidos, mudam diante de nós numa velocidade fora da nossa capacidade de percepção e compreensão. Aqui parece claro que o muito pequeno vive em outro mundo, numa outra dimensão e aparece na nossa, ou a nós realizando funções mágicas por sua velocidade e função. O que não pode se deixar passar é que esses seres mudam rapidamente sob condições diferentes – se o meio muda, eles mudam suas funções. Em geral, deve ser notado, essas condições estão sob o nosso controle! Assim, as funções do mundo microscópico dependem do que fazemos ou deixamos de fazer.

Vivemos em meio a um “caldo” de micróbios, dentro e fora que contribuem para a vida e para a morte. Mas, aqui é preciso compreender, definitivamente, que não é um microrganismo especifico que é benefico ou patogênico – eles são mutantes e sua função depende do meio em que vivem. As leis da naturais ensinam a preparar o terreno, o nosso organismo, para a vida, mas jamais podemos nos livrar deles, nós somos eles e eles somos nós. Não há nada aqui capaz de matá-los. E não há razão para isso porque não são nossos inimigos, mas somos nós mesmos que criamos as condições para a doença e para a morte alterando o terreno interno e externo. Eles não podem nos fazer mal e ferir se há harmonia.
Nem é preciso dizer que, as drogas e vacinas para destruir a vida que nos suporta são estúpidas e charlatãs.
Os resultados dessa guerra insana gera consequências negativas e apenas para nós. E os resultados que virão serão imprevisíveis e terríveis. A natureza não previu, essa interferência química ou biológica.
Não é possível mudar nada, mas podemos aprender como viver em harmonia e equilíbrio nesse mundo complexo, mágico e misterioso. E para isso precisamos estar vivos e íntegros. A má saúde certamente é um impedimento para adentrar os mistérios da vida.
Os mortais somos nós como homens, porém não somos mortais enquanto nossos componentes microscópicos – somos eternos neles.
Temos um ciclo e, portanto, fases, transformações, formação, crescimento, envelhecimento e morte. O que fazemos com isso já é outra questão. Fica evidente que nossa função é de compreender e não de mudar o mundo.
A ideia de que teríamos “evoluído” da matéria inerte, passando pela ameba, macacos até o “homo sapiens” casualmente, por acidente, é um sonho tolo, completamente delirante.
O milagre e as maravilhas dos fatos ultrapassam em muito a imaginação pobre dos medíocres cientistas.
Para fins práticos é fundamental conhecer a verdade assim chamada científica, porém ela é insuficiente para nos elevar acima do mundo material que os sentidos podem captar. Se o propósito e a meta não estão claros, teremos uma visão muito errada da vida.


Conhecer parcialmente é pior do que não conhecer nada. A condição atual da ciência é essa. Descobriu algumas partes e não consegue ver as conexões e o todo.
O que precisa ser compreendido é que seccionar o mundo em milhões de partes e estuda-las separadamente e num ambiente artificial jamais permitirá um entendimento do todo.


Mesmo permanentes e capazes de evolução/involução de formas e funções, os seres microscópicos estão totalmente submetidos a nós. “Aceitam e obedecem” os nossos comandos para o bem e para o mal. Se estamos em sintonia com as leis cósmicas e naturais eles serão para a saúde, para a vitalidade, a renovação, a cura, a vida. Se nos opomos a lei da vida eles se comportam como adversários e a nossa vida pode terminar prematuramente mas não a deles! Todas as formas de manipular, mudar, forçar a relação natural com esse suporte à vida terá maus resultados. As soluções através da química e vacinas são apenas sobre os sintomas e temporárias. Os efeitos a médio e longo prazo serão devastadores.
Sabemos exatamente de onde viemos, mas o futuro está para ser escrito a cada instante.

Nós somos Habitados por Trilhões de Gérmens!


Essa absoluta abundância microbiana sugere que o corpo humano é, de fato, uma coleção de células humanas (em menor número), de células microbianas (em maior número) e genes e assim, uma combinação de elementos humanos e microbianos.
1000 espécies de gérmens já foram identificados no intestino humano.


A medicina, assim chamada científica, não compreende a origem desses muitos trilhões de microrganismos que vivem em simbiose no nosso corpo. Ficam procurando como poderiam e quando teriam entrado.
Na verdade, todos esses gérmens são de origem microzímica e celular própria, nenhum deles vem de “fora”.

É necessário que se interprete esses fatos. Todos, senão quase todos os gérmens que nos habitam, classificados de não patogênicos e patogênicos são de origem interna, endógenos, e quase nenhum, se é que isso poderia ocorrer, de origem externa, exógenos. Sao todos absolutamente necessários à vida e à saúde. Isso é o começo do fim das especialidades charlatanescas como virologia, infectologia e outras mistificações.


É sabido que pessoas muito doentes, no fim de suas vidas estão infestadas com gérmens por todo o corpo e que essas desenvolvem formas mortais. As mudanças internas de PH e outras condições sinaliza aos microrganismos que aquele organismo está morto – e isso provoca sua mudança em cepas agressivas. Isso jamais acontece com pessoas saudáveis e jovens. A procura estúpida dos médicos por causas externas, esterilizando tudo, é patética.
Não há nenhuma chance de um “ataque” viral do exterior sobre pessoas saudáveis, assim como sobre qualquer pessoa. Dizer que poderia haver contagio pelo ar, pelo contato é virtualmente e verdadeiramente impossível.


O mito das epidemias e pandemias estão apoiadas em pseudociência, em farsas.
Introduzir através do sangue produtos biológicos, naquilo que chamam de vacinas é criminoso, é assassinato. Nesse caso, todas as barreiras e defesas naturais são esquivadas e se introduz o veneno diretamente no sangue.

A OMS é uma Organização Terrorista!


A Organização Mundial da Saúde (OMS) mudou a definição de ‘imunidade de rebanho’ em seu site, eliminando a posição original de que isso poderia ser alcançado com a disseminação do vírus pela população. O site agora afirma que ‘imunidade de rebanho’ só pode vir de vacinas.


Não há ciência, coerência ou verdade nesse organismo que agora dita as regras da vida para o mundo e cujas declarações são usadas por mandatários corruptos, fracos e por ditadores para escravizar os povos.
Os milhões e logo, bilhões de mortos serão o resultado das mentiras e conspiração desses dementes. Pandemias, vírus e agora vacinas que são para a morte e a destruição da saúde forçadas sobre as pessoas inocentes.


A OMS é a antítese da ciência, do cuidado e da inteligência com o ser humano. As contradições, negativas, marchas e contramarchas são repetidas, mas sempre com malícia e a serviço do crime hediondo: a morte!


A fraqueza dos governantes e seus objetivos políticos os impedem de romper com esses criminosos internacionais.
Vergonha!

O Micro é Vida


Vivendo contra a lei da vida se altera o meio interno dando o sinal para que os microrganismos, que são os construtores, se transformem em destruidores e dissolvam o corpo. Aquilo que é para a vida e para a saúde se fez para a morte por ações contra a Lei natural.
O que chamamos vida é a entrada na nossa dimensão pelo micro (invisível aos sentidos) de fermentos chamados de microzimas. Essas partículas de vida originadas no mundo arquetípico, como “sementes”, são a base da vida na forma que conhecemos a sua manifestação, desde os gérmens até o homem. De fato, a vida não se manifestaria aqui senão pelo e através do mundo microscópico – e isso é um fato!
Só o que podemos fazer, e isso é tudo, é preparar e manter um terreno, um solo fértil e adequado para a vida. Se falhamos nisso, haverá choro e ranger de dentes, dor, agonia, escravidão. A lei da vida determina que preparemos o solo para que a vida se manifeste em sua plenitude e integridade. Quando o solo não é adequado, pelos erros por ignorância e pela paixão, esses princípios de vida que são para o bem e a harmonia, se manifestam para a destruição – doença.
A instrução de nossas mentes e o controle de nossas paixões são duas leis derivadas da primeira, a autopreservação.
O problema é que ao não conhecer nossa condição e o que somos – um experimento em auto evolução, permitimos ser conduzidos e tutelados por maus regentes e inimigos, as assim chamadas “autoridades constituídas”! Isso é uma condenação porque destrói a humanidade e impede qualquer evolução e crescimento.
A vida reage não só ao meio “nutritivo”, mas a nossa condição psíquica. Aliás, tudo o que os nossos sentidos alcançam são a base para o crescimento e a depuração das funções psíquicas , sem as quais, nem humanos podemos ser. Para as funções orgânicas funcionarem devidamente é necessário um psiquismo equilibrado. Quando o homem é consciente de si , dono de si, as vidas dentro e que fazem parte de seu ser, o servem.
Conhecer e comungar com os poderes visíveis e invisíveis dos quais dependemos para a vida e a evolução, nos faz co-criadores. Sem isso somos destruidores, pragas para nós mesmos e para o planeta.
O que deve ser entendido é que não podemos eliminar o mundo microscópico por nenhum recurso nessa dimensão. Tudo que morre, plantas e animais são reduzidos a microzimas, base da vida, começando com bactérias, fungos, etc. A vida dos seres complexos pode ser reduzida aos seus componentes básicos e esses, são indestrutíveis! Portanto, a nossa origem está naqueles seres muito pequenos, dependemos em tudo deles. Tentar elimina-los e acusa-los de serem responsáveis por doenças é completamente insano. Eles se impõem quando estamos doentes e não é verdade que adoecemos por causa deles. Eles são consequência e não causa. Somos nós, com o nosso comportamento que determinamos se esses poderes trabalharão para a vida ou para a morte. É patética a tentativa de resolver o problema agindo sobre as consequências (os gérmens) e não sobre as causas – porque é disso que se trata. As assim chamadas “infecções” são sempre endógenas e não exógenas. As causas estão no desequilíbrio, sobre o qual temos controle, mas não podemos matar a nós mesmos ou parte de nós, os microrganismos, que vivem e trabalham em nós porque alteramos o meio saudável em um doentio.
Toda a vida civilizada, sem exceção, é contra as leis cósmicas e naturais. Cidades, ocupações, profissões, relações, alimentos, ar, água, tudo tóxico. Essas coisas todas que envolvem e constroem a vida do “homem civilizado” são as causas de sua vitalidade deficiente, má saúde, emoções negativas e pseudo conhecimento.
As pessoas continuam a procurar as causas fora, nos gérmens e soluções mágicas e supersticiosas em drogas, vacinas, isolamento e máscaras, quando as causas estão nelas mesmas, naquilo que elas fazem diariamente, em toda a sua vida, naquilo que entendem como “normal e correto” e a solução real está numa mudança radical de suas vidas, de hábitos e crenças.

A Autopreservação é uma Obrigação e um Direito


Não há maior erro e blasfêmia do que entregar a própria vida aos cuidados e domínio de outros porque a primeira lei dos princípios cósmicos e naturais relativos ao homem é a autopreservação .
Somos ordenados a nos preservar desde dentro através de duas sensações, o prazer e a dor. Fomos dotados de sentidos internos básicos que nos permitem a autopreservação e isso é pessoal e não pode ser entregue a ninguém porque é uma função interior, instintiva, pessoal. Ninguém pode em nenhum momento substituir essas sensações e/ou fazer aquilo que é nossa função exclusiva, que é a de manter a nossa própria vida e saúde.
É impossível para qualquer pessoa determinar as nossas necessidades e também é uma obrigação pessoal conhecer a si mesmo de tal maneira a não somente ser fiel as sensações, como conhecer o que nos faz bem e mal como também, disciplinar-se de maneira a não abusar de nosso organismo pela busca descontrolada do prazer.
É evidente, sob essa lei, que é nossa responsabilidade e obrigação a autopreservação e que ninguém pode fazer isso por nós.
É falso, portanto, em principio e de fato, que alguém possa nos substituir nessa obrigação e assim, o suposto poder e direito de outros em nos preservar através de um pretenso conhecimento, como agora fazem os médicos e/ou o estado. Na verdade, é função sagrada dos sábios em saúde ensinar as leis da vida ou sugerir alguns caminhos, mas jamais, em nenhum momento, submeter ou interferir nas funções orgânicas de outra pessoa.
Toda a prática de drogar e invadir o corpo alheio é charlatanismo e crime contra a vida porque os cuidados com a vida são pessoais e toda pretenção de conhecer o que se passa no outro e suas necessidades, interferindo com métodos artificiais e antifisiológicos, são errados e mistificação.
O resultado de tais abominações resultou na supressão absoluta a todo o direito ao corpo, a vida e a liberdade e é isso o que assistimos estupefatos agora!
O avanço sobre o mais sagrado direito e posse que é a vida, anulou a condição humana e com ela toda a moral, responsabilidade, autonomia, direitos e deveres.
O caos, a anarquia, e o barbarismo foram impostos a humanidade através da negação do direito a exercer os instintos de preservação e de conhecer a lei da vida e aplica-la a si mesmo. No lugar das leis cósmicas e naturais, se ensina a mentira e a falsidade sobre a natureza humana e que supostamente não poderíamos sobreviver a não ser nos submetendo a uma ordem externa coletiva, ao arrepio das nossas necessidades e funções.
Não há outro caminho para a vida senão o de instruir-se no conhecimento sobre as leis cósmicas e naturais e na disciplina de nossos desejos.
Depois de se entregar a maus regentes que invadem a nossa intimidade controlando absolutamente tudo em nós, em nossas vidas e em nosso corpo, somos os escravos mais abjetos e rastejantes – não sobrou nada de humano e digno em nós. Quem não pode mais se dar conta dessa sua condição revela que essa constatação é verdadeira.

Assassinato Oficial

Drogas, vacinas e métodos de “cura” que podem causar danos ou morte e que são todos experimentais e, supostamente, curariam X % dos casos, são todos CRIMINOSOS, SÃO GENOCÍDIO OFICIAL.
Quando esse povo estúpido vai entender? A Ciência da Saúde tem 100% de garantia! Mas, quem quer saber?
O conhecimento das leis da vida lhe garantem 100% de saúde, bem estar e poder para evoluir com liberdade absoluta de todo o sistema escravista do estado e dos interesses na má saúde da falsa ciência apoiada em drogas, vacinas e lucros.
Liberte-se!

As Raizes do Vegetarianismo

Nas Homilias Clementinas, registradas por Clemente, discipulo do vice-regente Pedro, o apostolo, há passagens que deixam evidentes as origens necessárias do vegetarianismo para os seguidores do Mestre Jesus.

Lei para os Gigantes ou Demônios.

‘Estas coisas parecem boas para o Todo-Visão, Deus, para que não domineis sobre o homem: ‘para que não perturbeis nenhum, a não ser que algum, de sua própria vontade se submeta a vós e para vós, vos adorando e sacrificando e derramando libações e partilhando de vossa mesa, ou cumprindo em qualquer grau mais, aquilo que não devem, ou derramando sangue, ou provando carne morta, ou empanturrando-se a si mesmos com aquilo que é arrancado de bestas, ou que é cortado, ou é estrangulado, ou em qualquer grau mais é impuro.

Mas aqueles que inclinam a si mesmos para a minha Lei, não somente não tocareis, mas também honrareis e fugireis de sua presença. Porque quem quer que vos agrada, sendo justo, no tocante a vós, para vós será constrangido a sofrer. Mas qualquer um desses que Me adoram e se perdem, ou cometem adultério, ou praticam magia, ou vivem de maneira impura, ou fazem qualquer outra das coisas que não são agradáveis a Mim, então terão que sofrer algo em vossas mãos ou daqueles outros, de acordo com a minha ordem. Mas sobre eles, quando se arrependem, Eu, julgando seu arrependimento, se é merecedor de perdão ou não, darei sentença’. ‘Esta coisas, portanto, deveis lembrar e fazer, sabendo bem que nem ainda vossos pensamentos serão capazes de ser ocultados Dele.’

Desejando Prisioneiros

“Tendo-lhes advertido para estes resultados, o anjo partiu. Mas vós sois ainda ignorantes desta lei: que para cada um que adora demônios, ou sacrifica para eles, ou partilha com eles de sua mesa, se tornará sujeito a eles e receberá toda a punição deles, como estando sob maus regentes. E vós que, por causa da ignorância desta lei fostes corrompidos ao lado de seus altares e vos saciastes com comida oferecida para eles caístes sob o seu poder, e desconheceis como fostes em todo o sentido injuriados em relação aos vossos corpos. Mas deveis saber que os demônios não têm poder sobre ninguém, a não ser primeiro serdes companheiros de mesa com eles; desde que, nem ainda seu chefe pode fazer algo contrário a lei imposta sobre eles por Deus, porque ele não tem poder sobre ninguém que não o adora; mas, nem pode qualquer um receber deles qualquer das coisas que deseja, nem em nada ser ferido por eles, como aprendereis na seguinte declaração.

A Tentação de Yahshua

Porque uma vez que o rei do tempo presente veio para o nosso Rei de Justiça, não usando de violência, porque isso não estava em seu poder, mas induzindo e persuadindo, porque, ser persuadido jaz no controle de cada um. Se aproximando Dele, entretanto, como sendo rei das coisas presentes, disse para o Rei das Coisas Futuras: ‘Todos os reinos do mundo presente estão sujeitos a mim; também o ouro, a prata e toda a luxúria deste mundo está sob meu poder. Portanto, prostrai-vos e adorai-me e vos darei todas estas coisas’. Isso ele disse, sabendo que após Ele o adorar teria poder também sobre Ele, e então, O roubaria da glória e do reino futuro. Porém, conhecendo todas as coisas, não somente Ele não o adorou, mas não recebeu em qualquer grau o que foi oferecido pelo tentador. 

Chapter XXII.-A Ceia de Casamento.

” Entretanto, o rei dos ímpios, esforçando-se para trazer para o seu próprio conselho o Rei dos piedosos, e não sendo capaz, cessou seus esforços, prometendo perseguí-Lo pelo resto de Sua vida. Mas vós, sendo ignorantes da lei anteriormente ordenada, estais sob o seu poder através de más obras. Assim estais poluídos em corpo e alma, e na vida presente sois tiranizados pelos sofrimentos e demônios, contudo naquilo que virá deveis ter vossas almas punidas. E isto não somente vós sofreis através de ignorância, mas também alguns de vossa nação, os quais por más obras, estando ocupados a negociar o poder do príncipe da maldade, semelhante a pessoas convidadas à uma ceia por um pai celebrando o casamento de seu filho e não obedecendo. Mas no lugar daqueles que pela ocupação em negócios desobedeceram, o Pai, celebrando o casamento de Seu Filho, nos ordenou através do Profeta da Verdade, vir aos desprezados dos caminhos, isto é, vós, e cobri-los com o puro traje de bodas, que é o batismo, que é para a remissão dos pecados feitos por vós, e para trazer o bom para a ceia de Deus pelo arrependimento, mesmo que a princípio eles tenham sido preteridos do banquete.

O Nascimento do Mestre

O Salvador, conhecido hoje como Jesus, o herói desse drama, nasceu há mais de dois mil anos em Israel, em Belém, provavelmente no início de Março e tudo isso está sugerido nas próprias várias versões oficias das escrituras e nas não oficias. Há um motivo para isso e significados em cada passagem que só podem ser compreendidos por você mesmo. Faça o seu esforço, procure instrução, se lhe interessar.
O Nascimento do Salvador
Sobre tudo o que se refere a vida e obra de Jesus, até seu nome, Yaohushua-Miriam, há disputas e isso foi previsto, e não poderia ser de outra maneira.
Aquilo que foi registrado ocorreu de várias maneiras e por muitas pessoas e, sem dúvida, a maioria dos escritos foram reedições.


Recensear é contar, identificar, numerar, quem, o que faz, o que é para uma sociedade. Por que isso estaria registrado na escritura? Localiza um momento na vida da humanidade, quem estava no comando e permanece e que o mundo se submete a certas regras desse governo material. Certas coisas são o cenário onde todos, até o Salvador, deve atuar e viver. Não podemos mudar nada disso e o Mestre nos recordou isso em várias ocasiões. De fato, o ser atrai a vida e portanto, a época e contingências em que vivemos. As mudanças possíveis não podem ocorrer senão pela mudança interior. Nenhuma mudança externa é realmente possível antes disso ou em detrimento disso. Os avatares, como o Cristo, vem sabendo e por escolha a um momento e ali trabalham por uma mudança da humanidade que é sempre interior e nunca exterior. Não é diferente com cada um de nós. Não podemos determinar NADA! Nosso ser atrai nossa vida e essa, é a melhor chance e única, para um crescimento interior. Não aceitar e não compreender essas condições é uma auto sabotagem. Tudo tem significado e motivo, se conseguimos ver. Nada é por acaso e o acaso não existe. A nossa revolta é rebeldia, é ignorância e violência. O Cristo, o Eu Real dentro de nós pode ver que a nossa vida é o que precisa ser para o despertar e a consciência.

Nascer é um presente, uma dádiva, mesmo que o caminho não seja fácil. Se fosse, não haveria nenhuma chance de evolução. Por isso, a vida é Trabalho, um meio para um fim maior. Não podemos esperar o “sucesso” tolo preconizado pela sociedade nessa vida, se compreendemos a que viemos. Vamos fracassar no mundo, mas podemos vencer pessoalmente, dentro, ou ainda, fracassar em ambos. Nascer é necessário e essa graça vem do mundo superior. Já que viemos, precisamos fazer valer tudo. É estupidez se debater e revoltar. É uma dádiva e não pode ser desperdiçada. Mesmo sendo um enviado, o Profeta Verdadeiro, Jesus teve uma vida difícil e foi injustiçado pelo mundo – devemos esperar algo diferente? A natalidade é um verdadeiro presente que recebemos, de graça e a qual, precisamos fazer jus. Se entendemos isso, o Cristo nascerá em nós e o verdadeiro caminho se estenderá e conheceremos a verdade!


Uma das lições mais difíceis é a de aceitar que não podemos fazer nada e que tudo acontece no mundo, mas que podemos trabalhar e, eventualmente, mudar, evoluir. Um bebê nada faz e é cuidado, ele atrai esses cuidados por sua pureza. Temos obrigações como adultos, mas não temos o direito aos frutos de nosso trabalho e as coisas nos chegam e precisamos lidar com elas. Na medida que lembramos, os caminhos para a evolução de abrem; quando esquecemos, nos perdemos na vida de fora. É preciso compreender que o sucesso e o prestígio acontecem ou não, independentes de nós, mas o crescimento interior é uma escolha e demanda esforço.


Alguns aspectos sobre o nascimento de Jesus são notáveis. Seus pais eram da descendência de David, o rei de Israel e profeta, natural de Belém. Eles, porém, moravam na Galileia, comunidade essênia, aos pés do Monte Carmelo, onde Elias e outros profetas (todos essênios – não há profetas em Israel a não ser Essênios e esse é o motivo de terem desaparecido!) tinham origem. Não é um dado desprezível porque indica que eles pertenciam a um ramo importante de uma das três seitas judaicas: saduceus, fariseus e Essênios, daquela época. Os Essênios eram destacadamente diferentes das outras seitas e foram escolhidos pelos romanos como mestres e professores. Josefus, um historiador e regente romano escolheu os Essênios e o mestre Banus para aprender a doutrina. Os Essênios eram pacíficos e com costumes destacadamente diferentes dos saduceus e fariseus. Não comiam carne, viviam em comunidades e alguns, fora das cidades. Só eram celibatários e adotando práticas mais severas de jejum, os Essênios do sul de Israel, aos quais pertencia João, o primo de Jesus. Aqueles da comunidade de Nazaré – daí Jesus ser conhecido como Nazareno, da comunidade essênia nazarena, desprezada pelas outras seitas judaicas – formavam famílias e tinham hábitos menos restritos do que seus irmãos do Sul.
A questão do vegetarianismo é uma constante entre os nazarenos, depois chamados de “cristãos”. O batismo, o vegetarianismo, as comunidades organizadas por doze mais o mestre, roupas brancas, cabelos compridos e repartidos ao meio (como Jesus usava), conhecimento e prática dos ensinamentos esotéricos mosaicos, voto de pobreza (daí os Ebon, o “pobres”, que nada tem a ver com pobres no sentido de posses, mas dos votos) tudo isso e muito mais EXATAMENTE como os Essênios Nazarenos Ebionitas (os “pobres”). Tudo isso era oposto às práticas judaicas das outras seitas!
Há muito mais nessa passagem, mas o que trouxemos ilustra bem alguns aspectos pouco conhecidos da natalidade do Mestre.

ENSINAMENTO 4 – do Evangelho Nazareno – também conhecido como: o Evangelho Completo – o Evangelho Perdido – o Evangelho dos Doze Santos – o Evangelho da Vida Perfeita de Yaohushua-Miriam

O Nascimento de Yaohushua ha Mashiakh

  1. Ora, o nascimento de Yaohushua, o Ungido, ocorreu como se segue. Sucedeu naqueles dias que César Augusto, por meio de decreto, ordenou que o mundo todo fosse recenseado. E todo o povo da Síria, cidade por cidade, foi recenseado, e eram meados do inverno.
  2. E José e Maria também deixaram a Galiléia, saindo da cidade de Nazaré, na Judéia, rumo à cidade de Davi, conhecida por Belém (porque eles eram da casa e da descendência de Davi). Ele e Maria, sua legítima esposa, cuja gravidez se encontrava adiantada, seguiram para ser recenseados.
  3. E assim foi que, durante a permanência deles ali, o tempo de Maria se cumpriu. E ela deu à luz seu primogênito na gruta. Maria envolveu-o em faixas e colocou-o na manjedoura, no interior do lugar, pois não havia aposentos disponíveis na hospedaria. E, para sua surpresa, a gruta ficou tomada de muitas luzes. Eram tão brilhantes quanto o sol em sua glória.
  4. E havia na mesma gruta um boi, um cavalo, um asno e uma ovelha; e sob a manjedoura havia um gato com seus pequenos; e acima havia ainda pombos. E cada criatura tinha um companheiro de sua espécie: o macho com a fêmea.
  5. E isto veio a suceder para que ele nascesse no meio dos animais, os quais veio redimir do sofrimento, por meio da libertação do homem da ignorância e do egoísmo, e pela manifestação dos filhos e filhas de Deus.
  6. E havia, na mesma região, pastores, residindo no campo, vigiando seus rebanhos pela noite. E quando esses pastores chegaram ao campo, admiraram-se ao encontrar um anjo de Deus para saudá-los. E a glória do Altíssimo resplandecia em torno deles; e os pastores estavam temerosos.
  7. E o anjo disse aos pastores: “Não temais. Eis que vos trago uma mensagem de grande alegria para todo o povo. Neste dia, nasceu para vós, na cidade de Davi, o Salvador, o Ungido , o Santo de Deus. E isto será um sinal para poderdes identificar o recém-nascido Salvador: encontrareis o bebê envolto em faixas, deitado numa manjedoura“.
  8. E subitamente havia com o anjo uma multidão de hostes celestes, louvando a Deus e dizendo: ”Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade”.
  9. E veio a suceder que, como o anjo os deixou e regressou ao céu, os pastores disseram uns aos outros: “Vamos agora a Belém ver esta coisa que aconteceu, que nosso Deus nos fez conhecer”.
  10. E eles se apressaram e encontraram Maria e José na gruta, e o bebê deitado na manjedoura envolto em faixas. E, quando viram essas coisas, contaram a todos sobre a experiência com o anjo e o que lhes fora dito concernente à criança.
  11. E cada um que ouvia isso se maravilhava diante do que os pastores contavam, mas Maria tomou todas essas coisas para si e ponderou-as em seu coração. E os pastores retornaram, glorificando e louvando a Deus por todas as coisas que tinham ouvido e visto.
  12. E quando oito dias se cumpriram para a sua circuncisão, a criança recebeu como nome Yaohushua-Miriam , como o anjo havia ordenado antes dela ser concebida no ventre. E cumpridos os dias de sua purificação, segundo a lei de Moisés, eles a levaram a Jerusalém, para apresentá-la a Deus (como está escrito na lei de Moisés: “Todo varão que abre o ventre será chamado santo para o Senhor”).
  13. E eis que havia um homem em Jerusalém cujo nome era Simeão; e este homem era justo e devoto, e esperava pela consolação de Israel. E a Ruach Santa estava com ele e revelou-lhe que não conheceria a morte, antes que tivesse visto o Mashiakh de Deus, o Ungido de Deus.
  14. E Simeão foi conduzido pelo Espírito ao templo; e quando Maria e José trouxeram a criança Yaohushua, para oferecê-la a Deus, segundo o costume da Lei, ele percebeu ser ela um pilar de luz. Então Simeão pegou a criança e tomou-a nos braços e, bendizendo a Deus, disse:
  15. “Agora, deixa teu servo partir em paz, segundo a tua palavra. Pois meus olhos viram tua salvação, a qual preparaste diante da face de todo o povo, para ser luz para iluminar os gentios, e para ser a glória de teu povo Israel”. E seus pais maravilharam-se com o que Simeão dissera.
  16. E Simeão abençoou-os e disse a Maria: “Eis que esta criança está determinada à queda e à elevação novamente de muitos em Israel. E sua obra será desafiada pelo poder da espada (pois uma espada trespassará tua própria alma também). E seu nascimento é um sinal de mudança que revelará os verdadeiros pensamentos de muitos corações”.
  17. E havia uma profetiza chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Asher, de idade avançada, que não se afastava do templo, mas servia a Deus dia e noite com jejuns e orações.
  18. E ela deu graças a Deus da mesma forma e falou do Ungido a todos os que procuravam por redenção em Jerusalém. E havendo feito todas as coisas de acordo com a lei, Maria e José retornaram a Galiléia, a sua localidade, Nazaré.

O ESTADO DE EMERGÊNCIA DEVE SER IMEDIATAMENTE REVOGADO! A PANDEMIA ACABOU!A quase total maioria dos humanos não adoeceu de COVID 19 e a quase total maioria dos POUCOS que chegaram a adoecer se curaram SEM VACINA!

A lógica científica ordena que compreendam que: TODOS aqueles que se curaram SEM VACINA E NÃO ADOECERAM, estão definitivamente IMUNIZADOS E SÃO IMUNES, e esses, são a MAIORIA DAS PESSOAS NO PLANETA! Portanto, NÃO há mais necessidade de VACINA!

Após um ano de “pandemia” shing-ling, o suposto vírus que causou inicialmente a doença, não é mais e não pode ser, pelas regras da imunologia, o responsável por casos de doença.

A acusação de que esse mesmo vírus continue causando a MESMA doença é, portanto, necessariamente FALSA!

Somos obrigados a concluir que: a PANDEMIA acabou!