As Causas da Ditadura Sanitária Mundial

Essa época de ameaças, de perturbação, de conspiração contra a vida, por uma fraude grotesca pandêmica, convida e obriga a cada pessoa a se ocupar com profunda meditação sobre tudo isso. Entretanto, assistimos o pânico, o medo irracional, o desespero, a anulação do pensar e a extrema negatividade.
Além da consequência direta à saúde há um retorno brutal ao totalitarismo ditatorial apoiado em motivos benevolentes de garantir o suposto bem e a segurança do povo. Ora, isso é, obviamente, uma armadilha, uma tocaia miserável e vergonhosa dos poderes constituídos.
Ao lado da supressão de todos os direitos, da liberdade, da propriedade e da igualdade, do direito a buscar sustento, da própria assistência à saúde, tudo está transtornado com a justificativa de “vencer o vírus”. Na origem de toda essa provação e desassossego está a má saúde generalizada dos povos. As pessoas estão muito doentes, desvitalizadas, dependentes sempre de profissionais da saúde e do Estado, porque a doutrina médica tem um custo exorbitante em sua aplicação!
A má saúde se tornou o normal, o frequente, o esperado, para a maioria das pessoas em qualquer época da vida. Todas as pessoas estão sempre limitadas, sofrendo e se drogando com os venenos receitados pelos médicos, como forma de alívio para suas dores e mal-estar.
Se a saúde fosse o normal, o esperado, jamais os conspiradores para a escravidão e morte poderiam sequer pensar em declarar uma “pandemia” e, menos ainda, prolonga-la por dois anos, somado a restrições draconianas, ameaças, violência e o abuso inaceitável de injetar um suposto imunizante à força no povo. Mas, o povo está doente, assustado, temeroso, sofrendo e foi condicionado a acreditar nas poções e mágicas dos doutores. É exatamente essa condição anômala que permitiu e sustenta essa insanidade e horror que impuseram ao mundo.
Segundo a medicina oficial certos seres invisíveis, malignos, estão prontos para atacar e matar! As pessoas esperam o fim catastrófico e o pesadelo induzidos através de lendas, filmes e de seus médicos – agora somado a um movimento mundial de terror pela OMS. Estamos nas mãos de terroristas, de loucos, de sociopatas. As pessoas foram condicionadas e levadas a acreditar que esses seres, chamados “vírus” podem surgir, casualmente, por acidente, a qualquer momento e matar! Não haveria nada nas pessoas capaz de defende-las disso. O agente infeccioso seria superior as defesas humanas e então, somente as vacinas, supostamente, poderia evitar o pior.
Em condições normais, obedecidas as leis da vida, nem as pessoas são frágeis, nem nada na natureza ameaça o ser humano. O problema é que o modo de vida, assim chamado “civilizado” destruiu a saúde desde o momento do nascimento e algumas vezes, até antes. A civilização faz tudo, maliciosamente, para adoecer a humanidade e depois vende a “solução”. Agora, muito mais do que lucro a coisa evoluiu para o controle absoluto e, possivelmente, para o genocídio deliberado, planejado há décadas.
Não há como ser saudável vivendo dentro da sociedade. Quando se diz saudável, isso inclui corpo e mente. Nenhuma condição de superar as dificuldades, de evoluir, de compreensão são possíveis em pessoas doentes, desvitalizadas, perturbadas, insanas. Esse estado doentio, anormal e provocado, se constitui numa prisão, em limitações graves. O que se deseja mostrar é que a humanidade, independente das condições externas, há muito vive numa prisão auto imposta. A diferença é que agora há uma situação, artificialmente criada pelos governantes, para forçar um estado totalitário com restrições extremas e sem solução sobre uma humanidade frágil e doente.
De qualquer maneira, o ponto é que, aquilo que propiciou essa ditadura sanitária cruel, jamais experimentada antes, foi a má saúde generalizada do povo e sua submissão a uma doutrina pervertida e falsa da saúde. Deve-se acrescentar que desde há 100 anos, pelo menos, os governos e Estados, nações se associaram a pseudociência da saúde, conhecida como “medicina” e suprimiram, com violência, todas as outras filosofias da saúde. Isso se passou com as crenças religiosas e obviamente, com as doutrinas políticas, também.
A única saída, estreita e difícil, necessita de um Êxodo com uma mudança radical no modo de viver e valores que o suportam. Não há como fazer isso dentro do sistema e o tempo para escapar de um destino trágico, se esgota rapidamente.
Despertem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s