Sobre a Verdade


Uma passagem do Evangelho dos Nazarenos sobre a Verdade

  1. Pilatos, entretanto, disse a ele: “És um rei, então?” Yaohushua respondeu: “Tu dizes que eu sou, assim, portanto, sim, um rei eu sou. Para este fim nasci e por esta causa vim ao mundo, para que possa dar testemunho da verdade. Todos os que são da verdade ouvem minha voz.”
  2. Pilatos lhe disse: “O que é a verdade?” Yaohushua disse: “A verdade é do céu.” Pilatos disse: “Então a verdade não está sobre a terra.” Yaohushua respondeu a Pilatos: “Creia que a verdade está sobre a terra, entre aqueles que a recebem e lhe obedecem. Os que são da verdade julgam com justiça.”
  3. E, ao ouvir isso, encaminhou-se novamente para os Judeus e disse-lhes: “Não encontro falta nele absolutamente.” E quando ele foi acusado pelo sacerdote principal e os anciãos, nada respondeu.
  4. Então lhe disse Pilatos: “Não ouves como eles testificam muitas coisas contra ti?”
  5. E ele nenhuma palavra respondeu. O governador ficou grandemente surpreso e novamente disse-lhes: “Não encontro falta neste homem.”

Um Rei na Terra sempre será um Ungido, caso contrário, não é um Rei, mas um usurpador. O nosso Mestre não deixa dúvida sobre isso e define um Rei e, portanto, Ungido, como aquele que vem para dar testemunho da verdade – no caso, o Salvador foi enviado do Céu!
Não podemos ter toda a verdade, mas podemos recebe-la e ser, então, menos injustos, ou seja, nos aproximarmos da justiça – “não fazer aos outros o que não desejamos para nós mesmos”!


Porém, Deus é Amor e isso vem primeiro. O Bem da Verdade é o caminho superior. A verdade sem o amor é violenta. Amar é: “Faça ao outro aquilo que deseja que seja feito a você”! E amar alguém é obedecer, é seguir as suas leis. Amar a Deus sobre tudo é seguir a Lei Única – o conjunto inseparável de todas as leis. Não há como dividir o que não pode ser dividido. A consciência une tudo e a verdade parcial e escolhida para ferir, para ganhar e dominar é crueldade e termina na pior mentira, porque mata.
Não é fácil, mas primeiro é preciso amar, e compreender que a verdade é do céu, ou seja, só está inteira no mundo espiritual, no invisível, onde os sentidos e a mente lógica não podem alcançar. A mente lógica, robótica, aquela usada no dia a dia, trabalha sempre com sim e não, com falso e verdadeiro, com o Um e o Zero – como operam os computadores sem vida. Por outro lado, o Amor une todas as coisas num todo harmônico. Compreender a própria condição e se colocar no lugar do outro nos torna mais justos.
A verdade vem primeiro, mas aperfeiçoada, fica em último para dar lugar ao amor. Quem tem a verdade, de fato, ama em primeiro lugar, porque compreende, une muitas coisas e sabe que não há sim e não, mas um todo inacessível a mente lógica e que precisa ser aproximado, sem violência.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s