Despertar do Sono Hipnótico

Ver, ouvir, tocar, cheirar, degustar, fome, sede, equilibrio, entre outros sentidos, são necessários para manter a vida orgânica nesse mundo de aparências. Os animais também tem sentidos, alguns muito mais desenvolvidos que os nossos. Temos uma mente mais capaz do que a deles e podemos falar. Todo esse poder, que deve ser aprendido, entretanto, acaba ocorrendo apenas reativamente, automaticamente e não conscientemente – e assim é a vida das massas semiadormecidas. Gerações incontáveis se sucedem nesse estado e, não há nenhuma evolução real do homem, mesmo que muita “ciência” e tecnologia sejam produzidas, enquanto tudo isso se faz em detrimento da consciência e da vontade. É inegável que há uma involução da moral e da inteligência quando comparamos o homem de hoje e de ontem.
A razão disso? Simples e direto – o homem está menos consciente. Tudo acontece, está semi pronto, facilitado, e os valores são os da fruição, do gozar a vida. As máquinas evoluíram enquanto os homens, se animalizaram. O homem máquina é uma realidade. Ou alguém se acha superior a um Moisés, um Aristóteles, um Plotino, um Buda, um Jesus? Algo muito ruim aconteceu pouco tempo após a retirada do Mestre. Tudo o que Ele ensinou foi deturpado e a civilização atual pouco tem a ver com os seus ensinamentos originais.
Os verdadeiros heróis da humanidade nada tem a ver com a pseudociência e tecnologia atuais, mas com a consciência, com a bondade e a sabedoria. Nada de útil, de humano, se faz com os valores atuais – o fato é que os deuses dessa época são o poder material, o poder da ciência, das armas.

A Natureza não precisa e não deve ser mudada ou dominada – ela está pronta e em harmonia com o homem que conhece e segue a lei cósmica e natural. O que está por fazer é a evolução interior, o psiquismo humano é que deve ser o alvo e a ocupação de todos. Nenhuma quantidade de “ciência”, como aquela conhecida e valorizada hoje pode ajudar nesse sentido, mas de fato, é um real obstáculo ao crescimento humano. A parafernália de quinquilharias que infestam a nossa vida são tóxicas, lixo, inúteis.
O esforço por acusar a natureza como imperfeita e perigosa e o homem como frágil e dependente da “ciência” para sobreviver é desonesta e uma conspiração para impedir a real evolução possível ao homem.


Não há na natureza nenhum risco, ameaça, patógeno invisível, que nos ameace a saúde e a vida. Como todas as ameaças visíveis foram “eliminadas” pela tecnologia, inventaram agora algumas invisíveis e misteriosas contra as quais só os eleitos doutores e cientistas poderiam, supostamente, nos salvar. O povo foi enganado por aventureiros e bandidos e agora, mais do que nunca, está nas mãos de escroques e ilusionistas e o custo disso pode ser fatal em todos os sentidos.
Dentro da atual civilização e sociedade, não há nenhuma esperança de vida, de liberdade, de justiça, de felicidade. Para usufruir das “conquistas” da pseudociência um homem deve se ajoelhar ao Malok e ter seu sangue e alma possuído por demônios.

A rejeição incondicional e total de todos esses valores e modo de vida atuais é a esperança de um real progresso, que é interior e não exterior.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s