Céu e Inferno


Não só tudo está conectado, como o visível deriva do invisível.
O tempo é uma curva que se fecha sob certas condições
Tudo tende a se repetir no mundo das aparências.
Os sentidos nos apresentam um mundo de aparências, ilusório
Esse mundo criado, cópia de um mundo de Ideias, também ele mesmo criado, está sujeito ao tempo e a mil regulações, as quais está sujeita a “matéria”. Nada disso pode ser mudado com os meios condicionados e a esse nível. Mas, tudo pode ser realmente mudado desde um nível superior, um mundo acima, de mais dimensões e onde podemos nos alçar pela compreensão e consciência. Aqui as coisas acontecem da única maneira que podem acontecer, mas podem ser imediatamente mudadas, na eternidade, só porque compreendemos. A fé, que move montanhas, é essa compreensão que nos transporta para o mundo que cria esse em que vivemos e que desde aqui não pode ser mudado porque, daqui não compreendemos porque as coisas são como são.
Tudo o que importa, tudo o que pode transformar a vida tem de vir de fora e acima dela. Temos em nós essa dimensão superior.
Somos o resultado, com o mundo que percebemos, de dois níveis de criação. As causas estão fora de nosso alcance condicionado. Nos foram dadas tarefas e regras para cumpri-las. A assim chamada ciência e lógica é necessária para viver e para sobreviver, mas as tarefas e as regras continuam. Para mudar isso precisamos nos alçar acima do mundo da matéria e do tempo.
O Homem é uma imagem do mundo superior. Tudo o que descobrir sobre si mesmo, pode aplicar ao universo e, tudo o que descobrir sobre o universo, pode aplicar a si. O Homem é um microcosmo num macrocosmo. Assim, cada homem é o centro do universo.
A Mente, o Criador, está além do tempo e do espaço. Por outro lado, do ponto de vista da mente lógica e da ciência colocamos todas as causas originais em um tempo distante. E isso é assim porque nosso pensar surge de nossa experiência do espaço e tempo.
O nosso mundo é aquele do tempo que passa, de acontecimentos, um mundo de opostos, de contradições e sempre de meias verdades, de certezas as quais jamais chegamos. Esses opostos, que seguem um ao outro, se encontram separados pelo tempo, como num movimento pendular, cujas impressões são mais fáceis de captar nos extremos do movimento. Porém, a causa fundamental e original de todas as coisas não se encontra a milhões de anos atrás, se encontra fora do tempo, se encontra agora – na entrada da eternidade.
O Homem, como um pequeno universo, pode chegar a ser mais real, pode ter uma existência mais plena, ascendendo por ela em si mesmo. Porque, todas as coisas são reais, porém menos reais que o que lhe é superior. O inferior não pode compreender o superior, mas o superior compreende o inferior.
Cada coisa existe mais na mente do homem que em si mesma, pois a Mente é a realidade fundamental e é superior a qualquer coisa perceptível.
Assim, uns em relação aos outros podem nos dar mais existência na apreensão mental de uns aos outros.
Devemos colocar muito mais importância no homem e não no mundo exterior. O Homem dos sentidos, limitado, carece de verdadeira existência.
O inferno é um estado, assim como o céu. E o inferno é uma condição de ser que não corresponde à nada real, é um estado de falsidade.
Não é por acaso que Jesus chama a Satanás o pai da mentira.
O centro da questão é que o Homem natural, dos sentidos, o “cientista”, precisa de provas, de evidências que seus sentidos alcancem.
Esse Homem precisa de heróis e de aposição, do Mashiakh, de Satanás, de um Céu físico, de um inferno.
Tudo está fora, no exterior, os obstáculos e as soluções. Esse Homem busca desesperadamente por coisas, provas, soluções vindas de fora. Esse é um estado de vazio, de ausência de significados, de ausência de compreensão. A acumulação de fatos e de soluções cada vez mais violentas são o resultado de apoiar a vida nos sentidos e numa mente lógica.
A solução por provar e impor que sua crença tem evidências perceptíveis, documental, elimina toda a busca e esforço por um crescimento e evolução interior – ele se torna desnecessária porque a “verdade” está no exterior.
O Homem pode ser um microcosmo que reproduz perfeitamente o macrocosmo. Mas, isso parte de seu corpo físico, sentidos e da mente que deriva daí. Entretanto, é a mente que precisa se transformar e crescer – a compreensão! Só aí é possível incluir as dimensões superiores, que são sutis, invisíveis e inalcançáveis pelos sentidos. O universo cabe na mente, desde que ela evolua e, enquanto um homem fica limitado a seus sentidos e a lógica derivada deles, viverá restrito ao pequeno e imperfeito mundo material – a cópia de três dimensões do mundo de seis dimensões. A loucura de encontrar soluções externas, materiais, só acessíveis pela violência, pela mentira, pela força, é causa de desassossego e um obstáculo poderoso a real evolução (interior).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s