Você é o mestre da sua Saúde


Há muitos mitos mortais sobre a saúde semeados pela indústria da doença.
Um desses mitos é o que chamam de diagnóstico onde os doutores colam em você uma etiqueta com o nome da doença que o “atacou”, da qual você está “acometido” e isso vai determinar o tratamento, os medicamentos, que lhe serão ministrados. Ou seja, eles vão tratar a entidade, o mau espírito, a “doença” que o invadiu bombardeando-a com venenos, radiação, tentando arranca-la com o bisturi.
Você, pessoa, deixa de existir nesse momento. Eles seguirão o protocolo médico independente de você e da causa de sua má saúde. Aliás, dar nome aos sintomas é uma maneira engenhosa de não falar da causa.
O medo, o pavor que se ergue de tudo o que se refere ao médico, a doença, aos procedimentos e, principalmente ao nome dado ao seu mal, é paralisante, é destrutivo.
É claro que o sistema todo, ao longo de décadas e até séculos, se cristalizou no inconsciente do povo exatamente como já foi, e ainda é, o pavor e horror do desconhecido, dos demônios e maus espíritos. Os doutores e a indústria da doença conta com a ignorância e suscetibilidade do povo. Eles não querem que você conheça a verdade sobre sua saúde, como recupera-la e mantê-la e até melhora-la por ações simples e inteligentes. Há leis eternas e imutáveis que determinam a sua relação com tudo que o cerca e, se respeitadas, o farão íntegro, feliz, cheio de energia.
O conhecimento e a razão precisam comandar suas decisões sobre a sua vida e não ficar sujeito a reações emocionais comandadas pelo medo e a superstição.
Não há outro caminho senão se instruir sobre a sua própria natureza e mudar hábitos e implementar ações corretivas correspondentes.
De todos os procedimentos aos quais você se submete a maioria, senão todos, podem ser evitados. Ou seja, a sua má saúde e os tratamentos são evitáveis. Sua má saúde se deve principalmente a maus hábitos, e esses ao desconhecimento das leis naturais, de como seu organismo funciona. É você que se adoece, na maioria das vezes, e piora seu estado, agravando as enfermidades se submetendo a práticas questionáveis, quase supersticiosas (drogas farmacêuticas), que já são responsáveis a 50% de todas as assim chamadas doenças. Não há muita diferença do bárbaro ignorante que era controlado pelos sacerdotes e chamams que afirmavam a pessoa estar sob influência de um demônio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s