As Condições Necessárias à Evolução


Há muitas condições pessoais e externas necessárias para que um homem possa empreender um caminho evolutivo interior.


Trazendo algumas dessas condições relativas ao país onde se vive, as leis de Manú (na Índia antiga) quando descreve as regras para o Dono de Casa (Snataka), lemos:

  1. Não deve viver num país governado por Sudras, nem em um habitado por homens ímpios, nem em um conquistado por hereges, nem em um em que abundam homens de castas mais baixas.
  2. Não deve estar em companhia de párias, nem de Kandalas, os mais baixos dos homens, nem de Pukkasas, nem de idiotas, nem de homens arrogantes, nem de homens de classe baixa, nem de Antyvasayins (coveiros).
    Capítulo VIII.
  3. Um reino governado sobretudo por Sudras, cheio de homens ateus, e privado de homens duas vezes nascidos (renascidos – portadores de um segundo corpo), rapidamente perecerá totalmente, atacado por fome e enfermidade.
    *Sudras – classe mais mais das castas indús. Operários e carnívoros.
    *Kandalas – pessoas impuras, imundas, ligadas a certas práticas prejudiciais a pureza necessária ao trabalho espiritual.
    *Pukkasas – casta inferior aos párias.
    Essa breve descrição nos fornece certas bases sociais e políticas nas quais o trabalho de uma escola esotérica é difícil ou impossível. Hoje, a ideia distorcida “progressista”, de multiculturalismo e inclusivismo promove a destruição das condições reais de progresso psíquico e espiritual – discurso tolo que engana muitos.
    Não podemos escolher a época e a família onde nascemos, mas temos certa liberdade para organizar a vida de forma a garantir condições mínimas de influências positivas quanto ao progresso interior.
    O curioso e o contrastante com a nossa Era e civilização, quando comparada as culturas tradicionais do passado é que o foco daquelas estava voltado para um objetivo muito diferente do atual. Hoje, se sonha e imagina que ao organizar e garantir, a qualquer custo, certas condições externas, todo o resto seria possível. Naquele momento e lugar da história, a crença era outra, oposta – sem as condições internas adequadas, o fracasso externo era certo.
    O Homem moderno e pós-moderno se vendeu por “um prato de lentilhas” e se acha muito esperto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s