Civilizações Extra-Terrestres

O assunto se presta a exploração charlatanesca, a “viagens” de alienados, a ataques grosseiros de pseudo-cientistas. Parece que as visões opostas não são úteis para trazer luz a uma coisa que, certamente, tem motivações reais e imaginárias e que se não forem revistas sob um ângulo mais humano continuarão fazendo muito mal objetivamente como subjetivamente.

Para contribuir para a abordagem, precisamos usar fatos mais próximos que nos ajudarão a olhar para a vida além da terra, ou vida desconhecida na terra, de maneira mais racional.

A questão da vida microscópica, descoberta não muito tempo atrás, sempre teve influência sobre a nossa vida, mas não sabíamos de onde vinha. Depois da sua descoberta e estudo, ainda há muito a descobrir, mas a existência desses organismos é inegável enquanto que algumas de suas manifestações também são conhecidas. Aos micro-organismos muitas doenças são atribuídas e também há simbioses importantes que nos permitem viver.

A vida além da terra é, para começar, lógica e possível. A presença desses seres na terra, vindo de planetas muito distantes, nem tanto. Por que estariam aqui? Se são de outros locais do universo, seria estranho que viajassem até aqui.

Além disso, é ainda questionável que tenham interesses positivos, de ajudar. Não há muita lógica nisso.

Acho que questionar a vida orgânica em outros planetas é até anti-cientifico. Questionar que poderia haver vida inteligente e bem desenvolvida, idem.

Me parece que há duas hipóteses mais prováveis sobre a vida extra terra. Ou são seres de outros planetas e representam perigo para nós, ou são seres daqui, e também, como no caso dos gigantes de tempos passados que quase aniquilaram a humanidade, também representam perigo.

Como vejo, a maioria da humanidade optou por resolver seus problemas com tecnologia, com o controle da natureza pela química, pela eletricidade e pela mecânica. A ideia principal sobre a vida extraterrestre é a da super-tecnologia – imagina-se que seres tão evoluídos estariam de posse de uma super tecnologia.

Todo o ensinamento do Mestre Jesus se opõe radicalmente a esse caminho e o relaciona com a afronta a Lei, a Deus. O caminho da tecnologia é aquele da ausência de fé, e da ausência do mundo espiritual. Quanto mais tecnologia, menos Deus! A associação com seres que atingiram um grau excepcional tecnológico é semelhante a negação da divindade. Por que? Porque Deus nos dotou com potencialidades a serem desenvolvidas e a Natureza é inteiramente suficiente para as nossas necessidades básicas e, ainda, o papel do homem é a união com o Criador e não a criação de um mundo novo, pela tecnologia, que exclui o espiritual. Hoje, para aqueles imersos nesse mundo artificial, quase nada restou desses homens, voltados para a adoração de Deus e dos esforços para serem aceitos como filhos Dele. Deus, a Lei, virtualmente desapareceu da vida desses homens. Toda sua energia, tempo e inteligência estão ocupados no modo de vida que estão obrigados ou que imaginam, os levará a um certo paraíso construído por suas “conquistas” tecno-cientificas”. Esse mundo é vazio, desesperador e frustrante mas, como que apanhados pelo laço, se debatem enquanto o nó aperta. É evidente que o mundo e as ações necessárias para a salvação estão completamente do outro lado.

As assim chamadas “religiões” são amortecedores para as suas consciências. Elas os ajudam a continuarem em seus sonhos hipnóticos de que estão no bom caminho e que, como é evidente que não chegarão a nada nessa vida relacionado as conquistas espirituais, que depois de morrerem, como “acreditam em certos dogmas”, irão ao Paraíso.

Assim, essa suposta associação com seres hiper evoluídos no que se refere às conquistas tecnológicas é mais do mesmo – uma piora no desvio!

Se esses supostos seres fossem realmente evoluídos na ciência que pudesse libertar o homem, não seria na tecnologia, no controle do mundo material com máquinas, mas com poderes do espírito e, esses, não incluem essa parafernália tecnológica.

Quem tem Deus, não precisa, em nada, dessas supostas conquistas que tanto custam em tudo, ao homem.

A tecnologia e o agigantamento e sofisticação da civilização é inversamente proporcional à busca de Deus. Enquanto as máquinas evoluem, os homens involuem.

Todo mundo deslumbrado, embevecido, orgulhoso e luxurioso pelas bugigangas produzidas pela indústria. As consequências de tudo isso precisam ser colocadas na balança. A grande maioria quer gozar hoje, mesmo que se condenem a uma vida medíocre e aos seus filhos e netos a penúria, a doença e a escravidão.

Não, não há nenhuma escusa para isso. Os inconsequentes entregaram as suas vidas nas mãos de canalhas e patifes que só querem lucrar com o “crescimento”, com a “prosperidade”, com o “progresso”. Quem disse que isso é realmente bom? Para que isso? O desassossego, a escravidão, a má saúde, a estupidez e perversidade valem por essa vida “prazeirosa”?

A tecnologia, em sua grande parte, foi sempre motivada pelo poder, pela conquista, pela guerra. E essas coisas revelam um baixo nível de Ser, da Alma. A tecnologia voltada para o conforto e a luxúria, idem.

Subitamente nos encontramos cercados por um mundo artificial, cada vez menos orgânico, cada vez mais afastado da Natureza, cada vez mais violento, ameaçador. Esse é um mundo onde ou você é dominador ou dominado, patrão ou escravo. Ouso dizer que tudo está cada vez mais cruel e desumano, muito próximo aos mundos subterrâneos, os mundos infernais.

Não há muito que questionar que caminhamos para um mundo sempre mais ameaçador, violento, enlouquecido, menos livre, sem paz. A história é pródiga em nos mostrar que as conquistas e a dominação raramente ou nunca, sempre foram de civilizações piores e mais armadas, com mais tecnologia e jamais mais avançadas no espírito.

Toda essa parafernália, seguida por sua natural Nova Ordem, escraviza e rouba a liberdade em todos os sentidos. As ações individuais, pessoais ficam cada vez menos possíveis – todos devem se conformar ao todo, ao coletivo – o indivíduo não tem lugar nessa ordem.

Finalmente, tudo indica, que a vida nesse planeta Terra pouco ou nada tem a ver com a natureza humana, com sua meta luminosa e espiritual, mas que foi colonizado por uma cultura estranha, “alienígena”, verdadeiramente seja que ela venha de outras galáxias ou mesmo de terráqueos psicopatas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s