Vida Eterna

Como em outros assuntos, a visão exotérica das religiões oficiais, particularmente das assim chamadas “cristãs”, é de que a vida eterna se refere a um estado pós mortem, onde pelo fato de perder seu corpo o homem adquiriria novos poderes. Isso contrasta com a visão esotérica dos Nazarenos, da qual o nosso Movimento compartilha, a qual a mudança que confere essa eternidade é algo possível de se chegar agora, nessa vida e que está conectado com aqueles que chegam a unidade – a um novo estado em si mesmos.

Não há como trazer esse assunto sem falar, mais uma vez, sobre a psicologia, a ciência da Alma.

A psicologia moderna nada sabe sobre a alma, sobre a vida eterna e está voltada para o estudo do homem tal como o encontra na vida, o homem dissociado, incompleto, incoerente, enlouquecido, esquecido, neurótico e quiçá a devolvê-lo ao seu estado “normal”, socialmente aceito.

A psicologia que nos interessa foi conhecida desde os tempos imemoriais como religião, como filosofia, como arquitetura, entre outras denominações e viu o homem como estando em uma condição incompleta, imperfeita e que, sob certas condições podia e pode alcançar uma condição nova, superior e chegar a unidade, a vida eterna – por seus próprios esforços, em vida.

Mesmo os textos editados do Novo Testamento falam que o homem pode aperfeiçoar-se, pode ter um “novo corpo”. Essa condição especial, excepcional, não pode ser alcançada com a educação que a vida proporciona, incluída a educação formal em escolas e universidades, nem ainda nas igrejas.

Os ensinamentos que abrem a possibilidade de romper com o destino e condição natural da humanidade foram frequentes no passado e rarearam, restando poucos e cada vez menos explícitos. Muitas das escolas antigas de filosofia da Grécia, as escolas tradicionais religiosas e de yoga, e mais próximo, a Congregação dos Nazarenos deixada pelo Mestre Jesus praticavam a verdadeira psicologia.

Todos esses movimentos levam em conta a condição psíquica não evoluída e ainda perturbada do homem comum e a real possibilidade de evolução, de integração, o que produziria uma transformação tão radical que podemos dizer que nasce dela um Novo Homem.

Especialmente os ensinamentos originais de Yaohushua veem o homem como uma semente, portanto, com potencial de crescimento. Um homem assim evoluído não só é uma pessoa mais capacitada e melhor na sociedade como um ser com poderes e qualidades muito superiores. E é exatamente essa nova condição que se refere a ser eterno – e isso conquistado nessa mesma vida. A psicologia que não leva em conta isso e que não trata disso, não é a verdadeira psicologia, como ciência da Alma, mas uma falsa ciência que trabalha para manter o homem subdesenvolvido, conformado com seu estado inferior e sonhando que é algo que não é, tendo poderes que não tem, mas que se atribui.

O sentido da expressão “um novo nascimento” desde cima significa uma nova classe de homem, o qual não é mais mortal porque tem um novo corpo que sobrevive a morte física.

Tudo começa com a certeza em algo superior e com a recepção de ideias que o preparam para encontrar o tesouro em si mesmo, o reino do céu – coisas essas que nada têm a ver com as conquistas do e no mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s