O verdadeiro cristianismo rejeita superstição

Paulo e Maomé: as visões e a fé cega e supersticiosa.

É bem conhecida nas cartas de Paulo a descrição e justificativa que o teria feito arrepender-se e converter-se a partir de suas visões e arrebatamentos em detrimento a toda a pregação dos apóstolos. Paulo rejeitou, antes e depois, toda a pregação e ensinamento que vieram diretamente dos apóstolos que a receberam e foram eles mesmos santificados pelo próprio Salvador. Ora, está bem claro que não há outro caminho para o homem a não ser começar, com boa vontade, ouvir ou ler sobre o Reino e atentar a Palavra. Todos aqueles que ouvem Paulo, por outro lado, seguem o seu mau exemplo e heresia que nega que Yaohushua ha Mashiakh tenha vindo na carne e que tenha tido apóstolos exclusivos autorizados e ordenados a pregarem sua doutrina numa linha discipular. Vejamos assim o que Yaohushua falou sobre isso no Evangelho Completo

15. “Então ele falou: ‘Peço-te, portanto, Pai, que o envies à casa de meu pai, porque tenho cinco irmãos. Para que ele lhes possa testificar, para que não venham também a este lugar de tormento’.

16. “Abraão disse-lhe: ‘Eles têm Moisés e os profetas; que os ouçam’. E ele disse: ‘Não, Pai Abraão; mas se alguém lhes for desde a morte, eles se arrependerão’.

17. “E Abraão falou ao homem:’Se eles não ouvem Moisés e os profetas, não serão persuadidos, mesmo que alguém se erga da morte’”.

Há , a partir dessa passagem, alguma dúvida que a “conversão” de Paulo é a negação dessa lei espiritual ensinada pelo nosso Mestre? Simplesmente, está proibida essa forma de revelação – e ela quando supostamente ocorre, é falsa! Essa passagem se encontra completa também em Lucas 16.

Não virá, do céu ninguém, nem mesmo o Cristo ressuscitado, que já veio e ensinou diretamente, em vida e deixou discípulos para converter pecadores. Essa espera por graças imerecidas é a marca do paulinismo. Fosse assim, cada vez pecadores incrédulos seriam agraciados com a descida de anjos, profetas e mesmo de Jesus ressuscitado para convertê-los, se erguendo da morte ou descendo do céu.

É evidente que há um princípio de injustiça em todas as declarações daqueles que supostamente receberam diretamente do céu, sendo pecadores e resistentes a Palavra, por qualquer meio: sonhos, visões, arrebatamentos, de poderes sobrenaturais para convertê-los em detrimento de todo o resto da humanidade. Lembrem do assaltante, pedófilo, assassino, torturador Mohamad que fundou toda uma religião a partir de uma suposta revelação, sem merecimento, a revelação do “anjo Gabriel”. Aqueles que aceitam Paulo, deverão igualmente aceitar Maomé! Ou seja, os seguidores de Paulo, que precedeu Maomé, foram doutrinados como que num pré Islamismo – Paulo os preparou para receberem a revelação herética do Islã. Pedro, que foi escolhido pelo Salvador como seu vice-regente, nas Homilias Clementinas, descreveu com clareza essa questão, não deixando nenhuma dúvida sobre as visões como meio de conversão ou instrução como ilícitas e inferiores a pregação direta por discípulos e jamais o contrário!

Nada mais do que Maus Demônios Aparecem para os

Ímpios

E Pedro disse: “Lembro que prometi provar este ponto, e dar minhas provas em atenção a isto das Escrituras, e à parte das Escrituras. Ficai a ouvir agora, o que digo. Sabemos que há muitos (se me perdoam a declaração; e se não, posso apelar para aqueles que estão presentes como juízes) que adoram ídolos, e alguns deles também tem visões de demônios. Porque afirmo que os olhos dos mortais não podem ver a forma incorpória do Pai ou do Filho, porque é iluminada por uma luz excedentemente grande. Entretanto, não é assim porque Deus inveja mas, porque Ele tem piedade, o motivo pelo qual Ele não pode ser visto pelo homem que foi tornado carne.

Porque quem vê a Deus não pode viver. Pois o excesso de luz dissolve a carne daquele que vê; somente pelo secreto poder de Deus a carne pode ser transformada na natureza da luz, desta forma pode ver a luz ou a substância de luz mudada em carne, então ela pode ser vista pela carne. Porque o poder para ver o Pai, sem sofrer nenhuma mudança pertence ao Filho somente. Mas o justo verá igualmente a Deus também; porque na ressurreição da morte, quando forem transformados, tanto quanto seus corpos são concernidos, em luz, e tornam-se como os anjos, eles serão capazes de vê-Lo. Finalmente, então, se qualquer anjo for enviado para que possa ser visto por um homem, é mudado em carne, para que possa ser visto pela carne. Porque ninguém pode ver o incorpóreo poder não somente do Filho, mas ainda de um anjo. Mas se alguém vê uma aparição, saberá que esta é uma aparição de um mau demônio!

Os Ímpios Vêem Sonhos e Visões Verdadeiras.

Mas é evidente que os ímpios vêem sonhos e visões verdadeiras, e posso prová-lo das Escrituras. Finalmente, então, está escrito na lei, como Abimalech, que era ímpio, e desejava perverter a esposa do justo Abraão por intercurso, e como ouviu o mandamento de Deus em seu sonho, como a Escritura disse, não tocá-la, porque ela estava coabitando com o seu esposo. O Faraó, também um homem ímpio, viu um sonho sobre a fartura e a pequenez dos cachos de cereais, para quem José disse, quando deu a interpretação, que o sonho tinha vindo de Deus. Nabucodonozor, que adorava imagens, e ordenou aqueles que adoravam a Deus serem lançados no fogo, viu um sonho estendendo-se sobre toda a idade do mundo. E não permiti ninguém dizer: ‘Ninguém que é ímpio vê uma visão quando acordado’. O que é falso. Nabucodonozor, ele próprio, tendo ordenado três homens serem lançados no fogo, viu um quarto quando olhou na fumaça, e disse: ‘Vejo o quarto como o Filho de Deus’. E, entretanto, mesmo que vejam aparições, visões e sonhos, eles são ímpios. Então, não podemos inferir com absoluta certeza que o homem que viu visões e sonhos, e aparições, é indubitavelmente pio. Porque no caso de um homem pio, a verdade emana natural e pura na sua mente, não trabalhada em sugestão através de sonhos, mas garantida para o bem através da inteligência

A Natureza da Revelação

Assim também para mim foi o Filho revelado pelo Pai. Por conseguinte, sei qual é o significado da revelação, tendo-a aprendido em meu próprio caso. Porque no momento exato quando o Senhor disse: ‘O que eles dizem que Eu sou?’ e quando ouvi alguém dizendo uma coisa Dele e outro, outra, veio para o meu coração dizer (e não sei, portanto, como o disse), “Tu és o Filho do Deus Vivo”. Mas Ele, pronunciando-me abençoado, indicou-me que foi o Pai que o tinha revelado a mim; e desde este momento APRENDI QUE A REVELAÇÃO É O CONHECIMENTO OBTIDO SEM INSTRUÇÃO, E SEM APARECIMENTO E SEM SONHOS. E este é verdadeiramente o caso. Porque na alma que foi colocada em nós por Deus, se encontra toda a verdade; mas isto é coberto ou revelado pela mão de Deus, que trabalha tanto quanto cada um merece através de seu conhecimento. MAS A DECLARAÇÃO DE QUALQUER COISA POR MEIO DE APARIÇÕES E SONHOS DE FORA É UMA PROVA, NÃO QUE ISTO VEM DE REVELAÇÃO, MAS DE CÓLERA. Finalmente, então, está escrito na lei, que Deus sendo irado, disse para Aarão e Miriam: ‘Se um profeta se ergue dentre vós, farei a Mim mesmo conhecido a ele através de visões e sonhos, mas não assim como para o meu servo Moisés; assim como alguém falaria ao seu próprio amigo’. Vedes como as declarações de cólera são feitas através de visões e sonhos, mas as declarações para um amigo são feitas face a face, em aparecimento corpóreo, e não através de enigmas e visões e sonhos, como a um inimigo.”

Por que é tão importante conhecer e compreender sobre a natureza da revelação e da impossibilidade e da ilicitude de alguém pio receber uma revelação por meio de visões e arrebatamentos e, por outro lado, da possibilidade de pecadores e heréticos terem visões?

No caso, é idêntica a situação de Maomé e de Paulo. Os dois negam todo o conhecimento através de passagem da doutrina por pessoas autorizadas e pelas escrituras e afirmam que receberam diretamente do céu (mesmo sendo pecadores e bandidos, assassinos), inexplicavelmente e injustamente, uma revelação exclusiva e superior a todas as outras. Ninguém pode testemunhar esses “milagres”, é a palavra deles, de pecadores, relatando que receberam essa “graça” especial, superior e única.

O que Paulo declara é evidentemente falso e/ou demoníaco. Como João adverte em suas cartas, negar que o Mashiakh tenha vindo na carne é o sinal do anti-cristo – e é isso que Paulo faz quando exclui toda a obra em vida de Yaohushua negando receber a doutrina de seus apóstolos e afirmando que recebeu uma revelação exclusiva e superior do “Jesus ressuscitado” – para Paulo, Jesus teria vindo na carne somente para derramar seu sangue na cruz como um cordeiro sacrificial e, depois de subir ao céu, passar, só a ele, Paulo, a doutrina “verdadeira”.

Quando Roma, que crucificou o Salvador, assaltou a Congregação de Yaohushua e impôs Evangelhos de sua própria edição e associou a isso as cartas de Paulo e sua blasfêmia, criou uma religião em nome do Cristo, muito diferente dos originais ensinamentos. E essa é a situação terrível de bilhões de fiéis do assim chamado cristianismo católico, ortodoxo e protestante. Se Paulo não for excluído da Bíblia cristã, não haverá nenhuma chance para esses “cristãos”.

É preciso se dar conta do jogo perverso que Maomé e Paulo fizeram: saem da condição de pecadores para a de santos e profetas saltando todos os passos que todos os santos trilharam, todos os sacramentos e iniciações, toda a preparação e provas, a submissão, e assim fizeram com a intenção clara de se apresentarem como superiores e eleitos por Deus, apesar de sua condição pecaminosa. Ainda outra perversão se perpetua: aqueles que lhes creem são induzidos a agirem levianamente, a acreditarem em uma salvação sem mérito e sem esforço – eles continuam imperfeitos e esperando que Deus lhes perdoe, numa crença supersticiosa e estúpida. Automaticamente, seus seguidores passam a compreender a fé como uma crença em graças injustas. Outros elementos, no caso de Paulo foram introduzidos: a salvação vicariante pelo sangue de Jesus e a crença no Evangelho de Paulo em detrimento das obras, da ação justa. Paulo introduziu o relativismo, o acaso, onde há, à priori, escolhidos por Deus, que mesmo que pequem, serão salvos e aqueles já condenados, à priori por Deus, não terão suas ações levadas em conta. No caso, Paulo declara que os “eleitos e escolhidos” são somente aqueles que acreditam no particular evangelho dele, Paulo. Aí se encontra a artimanha de Paulo em atacar as obras da Lei em detrimento da “fé”, sendo essa fé, a crença nele, Paulo – o principal e mais importante auto-declarado “apóstolo”! Aqueles que seguem a Lei são os “judeus”, os cristãos imaginam que não precisam, podem pecar a vontade – o sangue de Jesus já os salvou.

Vamos alinhar as semelhanças entre Maomé e Paulo.

Discriminação as mulheres e sua total submissão.

Desprezo pela Lei

Cultura da morte

Auto promoção e menosprezo por todos os profetas.

Ódio aos judeus e diminuição da obra de Jesus.

Submissão as autoridades, antes que a Lei divina.

A Congregação do Salvador só deu vida e saúde, mas a igreja de Paulo executou hereges, bruxas, e os seguidores dos apostolos. Assim fez e faz Maomé e seus fiéis.

Yaohushua ensinou que devemos acreditar na Lei, no invisível, na revelação direta e pessoal, Paulo e Maomé em visões, em arrebatamentos. Até aos discípulos infiéis Paulo pediu a morte, castração, maldição assim como Maomé. As mulheres foram obrigadas a se cobrirem-se foram consideradas inferiores e proibidas a falar nos templos por Paulo, também assim fez Maomé. Aos cristãos foi permitido tomarem escravos e a se submeterem a escravidão, assim também Maomé. Jesus aboliu todos os sacrifícios de sangue, Paulo e Maomé os reeditaram e chegam a auto-flagelação. Paulo ensinou a desobediência a lei, o mesmo fez Maomé

Jesus desaconselhou mortificações e a tortura do corpo, Paulo e Maomé as trouxeram.

Para Paulo o homem é imperfeito, pecador irredutível, e só pode ser salvo pela graça, pelo sangue de Jesus. Por causa da natureza humana, o homem seria incapaz de cumprir a Lei que o próprio Deus determinou que fosse obedecida. Cumprir a vontade de Deus, que é a Lei, é a mais perfeita definição de amar a Deus – assim ensinou Yaohushua. Por outro lado, esse conceito paulino, sobre a mais nobre criação de Deus, o homem, se parece muito a inveja dos anjos caídos e de Satanás. Satanás nos acusa e assim também faz Paulo, enquanto com isso condena a todos a não se esforçarem a cumprir com a Lei, porque é não só inútil, mas pioraria a situação. Em Paulo a evolução, o aperfeiçoamento é impossível é desaconselhável. Ele até sugere que isso é próprio dos condenados, que como os judeus se debatem em regulações, mas os gentios (os pagãos) foram escolhidos para a salvação.

Como Jesus vê a natureza humana?

E novamente Yaohushua falou-lhes: “Sede misericordiosos, e obtereis misericórdia. Perdoai os outros, e sereis perdoados. A medida com que medirdes, a mesma será medida para vós novamente.

11. “Como a outros fazeis, a vós será feito; como dais, a vós será dado; como a outros julgais, sereis julgados; como a outros servis, sereis servidos”.

12. “Porque Deus é justo, e recompensa cada um segundo suas obras. Aquilo que eles semeiam, eles também colherão”.

2. Disse-lhes ele: “Bem-aventurados são aqueles que sofrem muitas experiências, porque serão aperfeiçoados através do sofrimento, serão como anjos de Deus no céu e não morrerão mais. Nem nascerão novamente, porque morte e nascimento não têm mais dominação sobre eles.

3. “Aqueles que sofreram e venceram serão como pilares do templo de meu Deus e não sairão mais. Eu vos digo: a não ser que nasçais novamente da água e do fogo, não podeis ver o Reino de Deus.”

Respondeu Yaohushua: “A não ser que um homem nasça novamente da carne e do espírito, não pode entrar no reino de Deus. O vento sopra onde escolhe e vós ouvis o seu som, mas não podeis dizer de onde vem nem para onde vai.

6. “A luz brilha do leste ainda para o oeste, saindo da escuridão. O sol ergue-se e põe-se novamente nas trevas; assim é com o homem, das eras para as eras.

7. “Quando ele vem das trevas, é que viveu antes; e quando vai novamente para as trevas, é que pode descansar por um momento e depois existir novamente ali.

8. “Assim, através de muitas transformações deveis vós ser aperfeiçoados, como está escrito no livro de Jó: ‘Eu sou um peregrino mudando de lugar após lugar e de casa após casa, até que eu venha a cidade e a mansão que é eterna.”

Não há nenhuma dúvida que a doutrina do Salvador é outra sobre o homem e sua natureza. Ele nos ensina que precisamos ser instruídos, que aquele que segue os mandamentos e a justiça se salvará e, portanto, isso nada tem a ver com uma natureza má ou com se negar a agir segundo a lei, o que aliás, é absolutamente necessário. Deus nos fez a sua imagem e semelhança e o profeta David nos chamou deuses, o que Jesus confirmou. Yaohushua foi chamado “o Filho de Homem”, por que? Porque o homem, todos, virtualmente, podem se aperfeiçoarem, podem evoluir ao ponto de se tornarem perfeitos. Yaohushua provou que os homens, sob guia divina, podem se tornar santos, fazer milagres, conhecer os mistérios do universo e além dele. Ele afirmou, que todos aqueles que cumprem com toda a justiça se salvarão, e jamais disse que um homem estava condenado a priori ou que seu esforço não valia porque seu destino já estava determinado. A insistência de Paulo de que Jesus seria Deus é justamente dizer aos homens que eles não podem se tornar como Jesus. Jesus não é o modelo porque é Deus e os homens devem esperar a graça da salvação.

O mundo mau e feio que Paulo descreveu não é o mundo real possível para aqueles que são verdadeiros cristãos. Esse mundo de Paulo, em que ele acreditava, era o mundo sem Deus, o mundo governado por Satanás. O que Yaohushua nos ensinou é que um mundo mergulhado na ignorância e idiotice é um real impedimento a salvação. A sua vinda é a realização do Reino na Terra. E por essa obra, há mais de 2.000 anos, com toda a destruição que ocorreu na sua doutrina, ainda estamos aqui aprendendo e crendo que podemos nos salvar e ser felizes nesse e no outro mundo. É falsa e demoníaca a ideia de que precisamos sofrer e que isso é “normal”. Paulo nos induz a aceitar o mundo como está, governado por representantes de Satanás, Yaohushua veio provar e ensinar que para nos salvarmos precisamos de uma outra ordem e que essa ordem nos trará paz e felicidade. Yaohushua não diz que devemos conquistar o mundo pela força, pela revolução ou pela política, mas que devemos nos retirar desse mundo e voltar eventualmente, para ajudá-lo. Não podemos nos salvar vivendo sob as ordens satânicas – isso nos destrói e nos impede de nos aperfeiçoarmos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s