O Décimo Terceiro Apóstolo

O 13• Apóstolo seria o anticristo?

Paulo se auto-proclamou apóstolo recriminando Pedro, o vice-regente e combatendo Thiago o chefe da Congregação e irmão de Jesus.

A história de Paulo é uma coleção de heresias, blasfêmias e apostasia.

Mentiu tanto que se defendia dizendo que “não mentia”!

Mentiu sobre sua origem, mentiu sobre sua suposta “conversão”, mentiu sobre ter recebido um “evangelho” desde o Cristo ressuscitado e do Criador no Céu, mentiu para todos justificando motivos de força maior. Usurpou sem nenhum pudor falas do Salvador, as quais foram suprimidas do Evangelho original e editadas nos 4 Evangelhos da igreja romana. Pregou a submissão dos cristãos a governos e Reis pagãos, justificou a escravidão e a inferioridade da mulher, demonizou o corpo e o desejo como pecaminoso, a lei mosaica, incentivou comer alimentos oferecidos aos demônios, criou uma doutrina estranha ao Ensinamento do Mestre, negou que o Cristo tenha encarnado porque sua única missão teria sido derramar seu sangue na cruz, ou seja, deformou e diminuiu o Ensinamento deixado aos apóstolos. Perseguiu discípulos, participou do assassinato de Estevão e da tentativa do assassinato de Thiago, irmão de Jesus.

Como se declarou cidadão romano por direito de nascimento, era romano e protegido de Roma. Por todas as estranhas e suspeitas ações Paulo foi um agente romano com a incumbência de destruir o movimento nazareno. Ainda, declarou que se negou a receber a doutrina dos apóstolos e seus companheiros, que finalmente seria o único e aceitável caminho para o discipulado.

Há uma lista extensa de coisas inaceitáveis e estranhas no comportamento desse homem.

Porém, o mais estranho é sua inclusão na “biblia “ romana como um apóstolo inspirado.

Deve-se notar que bilhões daqueles que adotaram o livro chamado Bíblia não veem nada suspeito e condenável nesse infiltrado romano.

A influência de suas “cartas” é tão marcante nas três manifestações oficiais da doutrina derivada de Roma dessa versão do Cristianismo que mais deveria ser chamada de Paulinismo, porque muito pouco sobrou do Ensinamento de Jesus.

A declaração de que tudo o que foi incluído por Roma no livro a que chamaram de Bíblia seria “inspirado” é um dogma que não tem nenhum apoio no Ensinamento original, pior, um dos motivos da condenação de Jesus foi o seu desprezo e condenação de certas passagens do AT. É claro que se estivesse tudo bem, a vinda de Jesus seria desnecessária. As escrituras são obra de homens!

É assim, muito provável, que a conspiração contra a a Congregação tenha começado muito cedo, com Paulo e se completou no século IV com Constantino, o imperador romano, inimigo do Cristianismo como tinha sido Paulo em seu tempo inimigo do movimento nazareno.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s