A Causa da Má Saúde

 

Desmistificar e explicar todo o ilusionismo e o charlatanismo da falsa ciência da saúde precisa da autoridade daqueles que se graduaram em suas escolas e se deram conta da falsidade de seus princípios e métodos. Trazemos algumas passagens do clássico livro do Dr. Tilden

A Toxemia Explicada J H Tilden MD  1926

“Desde os tempos imemoriais o homem tem buscado um salvador; e, quando não busca um salvador, está a procura de uma cura. Ele acredita em paternalismo. Ele espera conseguir algo em troca de nada, desconhecendo que o maior preço que se paga por qualquer coisa é tê-la de graça.

Ao invés de aceitar a salvação, é melhor merecê-la. Ao invés de comprar, implorar, ou roubar uma cura, é melhor parar de construir a doença. A doença é criação do próprio homem e, coisa pior do que a estupidez de comprar uma cura é permanecer ignorante para acreditar em curas.

As falsas teorias da salvação e de curas tornaram o homem um mendigo mental, quando ele deveria ser o árbitro de sua própria salvação e, certamente, seu próprio doutor ao invés de ser um escravo de uma profissão que nem produziu sua própria salvação da doença, nem descobriu uma simples cura em todo o longo período da existência do homem na terra.

 

Ouvimos sobre curas pelas dietas, nutricionistas, alimentos balanceados, dietas da carne, dietas de vegetais, e outras dietas – alimentos quimicamente preparados de todas as espécies. Os leitores estão perplexos com centenas de revistas sobre saúde e milhares de idéias sobre saúde. Há milhares de escritores especializados que não a reconheceriam se a encontrassem na rua. Fanatismo, intolerância, estupidez e mercantilismo são os principais elementos no complexo dietético que no momento atormentam o público.

São curas que o povo quer, e são curas que os médicos e cultistas simulam fazer; mas no máximo somente alívio é dado.

A periodicidade que caracteriza todos os desarranjos funcionais do corpo concorre para que pareçam verdadeiras as afirmações dos traficantes de cura de que seus remédios curaram seus pacientes, quando a verdade é que a assim chamada doença “segue seu curso”. A verdade é que a assim chamada doença foi uma crise toxêmica e quando a toxina foi eliminada abaixo do ponto de tolerância, a enfermidade passou – e, automaticamente, a saúde retornou. Mas a doença não foi curada; porque a causa (os hábitos enervantes) continuaram, toxinas ainda se acumulam, e no devido tempo outra crise aparece. A não ser que a causa da Toxemia seja descoberta e removida, crises se repetirão até que desarranjos funcionais cedam lugar à doença orgânica

Toda profissão (médica) está ocupada em medicar crises de Toxemia – curando (?) e curando (?) até nocautear com doença crônica qualquer órgão que foi o alvo da crise tóxica

Não há Curas

A natureza retorna ao normal quando hábitos enervantes são abandonados. Não há curas na acepção geralmente aceita. Se alguém tem o coração afetado pelo fumar, qual é o remédio? Pare de fumar, sem dúvida. Se o coração está exaurido por choques, como vemos entre jogadores, ou entre homens que estão especulando no mercado de capitais, qual é a cura? Drogas? Não! A remoção da causa.

Todas as assim chamadas doenças são construídas na mente e corpo por hábitos enervantes O alimento e a insanidade dietética que constitui a linha mestra no teatro médico atual induzem as pessoas a solicitar uma dieta que os curará de suas doenças peculiares. Prevalece a idéia que alguma dieta específica curará reumatismo ou qualquer outra doença.

Jejum, permanecer na cama e o abandono de hábitos enervantes mentais e físicos permitirão a natureza eliminar as toxinas acumuladas; então, se hábitos enervantes são abandonados e hábitos racionais de viver são adotados, a saúde retornará para ficar, se a pessoa CURADA “mantiver sua posição”. Isto se aplica para todas as assim chamadas doenças. Sim, isto serve para a sua doença – você que escreve para indagar se o sistema Tilden de cura se aplica ao seu caso. Sim; não pode você se dar conta que a lei e a ordem permeia o universo e é a mesma da nebulosa a pedra, da pedra a planta, da planta ao animal, do animal ao homem, do homem para a mente e da mente para a super mente – Deus? Para usar uma expressão ampla: Lei e ordem permeiam o universo, a mesma ontem, hoje e sempre, e é a mesma da galáxia para a mente – e do elétron para a mente. A Toxemia explica como a lei universal opera na saúde e na doença. Uma doença é a mesma que outra; um homem o mesmo que outro; uma flor a mesma que outra; o carbono no pão, açúcar, cinza e no diamante é o mesmo. Sim, uma doença pode ser curada assim como a outra, a não ser que o órgão atingido pela crise toxêmica seja destruído.

Por exemplo: se o comer errado é mantido, a fermentação ácida primeiro irrita a membrana mucosa do estômago; a irritação torna-se inflamação, então ulceração, então calosidade e endurecimento, que no final termina em câncer. O mundo médico está lutando por encontrar a causa do câncer. Ele é o final longinqüo de um processo inflamatório cujo início precoce pode ser qualquer irritação. O fim é a degeneração de uma falta de oxigênio e nutriente, e, ao degenerar, o material séptico entra na circulação, estabelecendo envenenamento séptico crônico chamado cachexia cancerosa.

A doença é a expressão comum da enervação universal. Uma compreensão da fisiologia e patologia necessita uma aproximação justa em evolução como revelada em biologia; ou o pensar se perderá algumas vezes.

Curas modernas e imunização são vaidade e vexame; estão fundadas no tolo princípio de raciocinar do efeito, que é a doença, para a causa. O órgão que está sofrendo de muitas crises de Toxemia é descoberto – pode ser úlcera de estômago, então a úlcera é extirpada; pode ser cálculo na vesícula, então a pedra é arrancada; pode ser um tumor fibróide de útero, então o tumor ou o útero é cortado. O mesmo pode ser dito de outros efeitos – o armamento médico é dirigido sem freios sobre um monte de efeitos. Isto é aceito pelo pensar público como tratamento eficiente da doença, quando de fato é uma remoção estúpida dos efeitos. E isto não é o pior de tal desatino. Os cirurgiões não têm a menor idéia da causa dos efeitos que eles tão eficientemente removem.

Em outros desarranjos a mesma falta de conhecimento da causa prevalece. No tratamento de doenças de deficiência, o elemento faltante é suprido desde o laboratório; mas nada é feito no sentido de restabelecer o órgão a normalidade. Por que? Porque a ciência não descobriu porque órgãos falham em funcionar apropriadamente; e até que isto seja feito, o desatino científico continuará”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s