A Congregação Essênia de Yaohushua ha Mashiakh – Parte 3

Como os Antigos Essênios Viviam
Tendo estabelecido o que os antidos Essênios acreditavam sobre a vida, consideraremos agora como eles verdadeiramente viveram.  . Enquanto alguns Essênios viviam em casas particulares em vilas e cidades, muitos deles viviam em vilas comunais. Havia muitas vilas comunais Essênias em Israel, e várias no Egito. Como descrito previamente, Jesus estava primariamente associado com a vila Essênia Nazarena comunal perto de Monte Carmel. Muitas comunidades utópicas tiveram vida muito breve devido a sua incapacidade de suprir necessidades humanas básicas como alimento, emprego e cuidados de saúde; mas os antigos Essênios criaram  vilas comunais que resistiram por séculos. Mesmo sendo místicos avançados com profundas crenças teológicas e cosmológicas, obviamente devem ter dominado os aspectos práticos da vida diária, tanto como os filosóficos. Faremos agora quatro questões básicas: Como eles se organizavam? Como eles mesmos se alimentavam? Como foram seus membros empregados? Que tipo de cuidados de saúde eles praticavam  e proporcionavam para seus membros?

COMO ELES SE ORGANIZAVAM E GOVERNAVAM? Primeiro examinaremos a comunidade Essênia de Qumram. Após fazê-lo, consideraremos alguns outros antigos modelos Essênios de viver comunal.

Enquanto outras comunidades Essênias se constituíam de famílias inteiras, Qumram era uma comunidade monástica toda masculina. A comunidade de Qumram considerava a si mesma como uma igreja e era organizada sobre conceitos de uma “Escola de Mistérios” esotérica, com vários níveis de iniciação. Sua palavra para ‘igreja’ era a mesma usada pelos primeiros Cristãos: ‘edah. E sua estrutura organizacional era idêntica aquela usada por Jesus e os primeiros Cristãos. Theodore Gaster, em seu The Dead Sea Scriptures, escreve:

“Pelo motivo que a Irmandade de Qumram tomava a si mesma como a verdadeira Congregação de Israel…organizava-se no que pode ser amplamente descrito como uma “igreja”. Uma tal organização requeria uma coleção formal  de princípios e uma constituição…Não menos interessante, e talvez mais excitante…são os muitos paralelos com a organização da primitiva Igreja Cristã. A comunidade chama a si mesma pelo mesmo nome (‘edah) como era usado pela antigos Cristãos da Palestina para denotar a Igreja…Há doze ‘homens de santidade’ que agem como guias gerais da comunidade – uma notável correspondência com os Doze Apóstolos. Estes homens tem três superiores, replicando a designação de João, Pedro e Jaime. Há um sistema regular de mebaqqerim ou ‘vigilantes’ – um exato equivalente do Grego episkopoi, ou bispos”. Em relação a menção de Gaster dos doze ‘homens de santidade’ e seus três superiores, ele está se referindo ao seguinte : Qumram era governado por um sistema chamado “Um, Três, Doze e os Muitos” (modelado sobre certos princípios da Geometria Sagrada e Kabala). O “Um”era o sacerdote chefe ou Mestre de Justiça” (em Hebreu: Moreh Zadik). Os “Três” eram, após o Mestre de Justiça, os sacerdotes de mais alto nível da comunidade. Juntos, o “Um” e o “Três”constituíam o que hoje seria chamado ‘A Mesa de Diretores’ , com o “Um”obviamente sendo o presidente da Mesa. Havia também o Concílio dos Doze Vigilantes; como Gasper enfatizou, a palavra Hebréia par “Vigilante” é “Mebaqqerim” que é o equivalente exato para “Bispo”. O Concílio dos Doze Bispos era consultivo para as quatro pessoas (os Três”e o “Um”) a “Mesa de Diretores”. Gasper enfatizou a notável correspondência entre o modelo acima de Qumram e aquele do círculo imediato de Jesus: Jesus corresponde ao “Um” ou “Mestre de Justiça”. Jaime, João e Pedro aos Três Altos Sacerdotes, (No Novo Testamento, Jesus freqüentemente toma somente Jaime, Pedro e João com Ele para eventos do “círculo interno” importantes e os “Doze Apóstolos” ao “Concílio dos Doze”; após Sua crucificação estes três são referidos como sendo os “os Três pilares da igreja”) Mas muito importante também é o termo de Qumram “Os Muitos”; porque, o Um, Três e Doze permitiam “Os Muitos” – TODOS OS MEMBROS EM BOA POSIÇÃO – votar para toda a questão que não era considerada do domínio da “Escola de Mistérios. Em outras palavras, os assuntos básicos diários da comunidade eram decididos não pela hierarquia espiritual MAS PELO CONCÍLIO DOS MUITOS. Desta forma, Qumram era governado por uma única combinação de hierarquia espiritual e democracia direta. A hierarquia espiritual protegia os ensinamentos esotéricos de serem diluídos pelos noviços e garantia que o propósito global, constituição e plano fosse seguido. Mas os assuntos diários da vida ordinária eram decididos de acordo a direta democracia via “ O Concílio dos Muitos”. Nas palavras de Theodore Heline: “Eles eram uma sociedade democrática funcionando sob uma ordem hierárquica altamente disciplinada.”

Se o termo “hierarquia espiritual” para negativo para a sua sensibilidade moderna, considere o seguinte. Os Essênios acreditavam que a sua Escola de Mistérios era um portal nas classes dos seres angélicos. Eles acreditavam que os mundos angélicos eram divididos em níveis ou hierarquias de anjos: seres angélicos inferiores elevando-se até os arcanjos. Assim eles modelaram sua Escola de Mistérios nos moldes angélicos de níveis e hierarquias Eles também asseguraram que a promoção através dos níveis era completamente justa no que ela estava baseada no progresso feito pelo estudante dentro do contexto do currículo da Escola de Mistérios..

Antes de finalizar o tópico da estrutura organizacional de Qumram, permita-nos observar como alguém tornava-se parte da comunidade de Qumram, como alguém se juntava a organização.

Em seu excelente livro entitulado, Os Manuscritos do Mar Morto: Os Precursores Essênios do Cristo, Theodore Heline escreve:

“Das porções recuperadas do Manual de Disciplina aprendemos que um candidato para o discipulado era colocado em um ano de prova.  Se sua conduta provava ser merecedora, dois anos mais de estudo e testes seguiam…..Então se favoravelmente aprovado pelo sacerdote e pela maioria dos membros era admitido para um membro genuíno Em conseguindo a completa condição de membro, mas não até então, os indivíduos entregavam sem reservas todas as posses pessoais para o depósito comum”.Semelhante a Qumram, a maioria das outras vilas comunais Essênias praticavam 100% uma economia comunal; aquela prática foi continuada por Jesus e os primeiros Cristãos-Essênios. Lemos no Novo Testamento “Livro de Atos”:

“E todos aqueles que acreditavam estavam juntos, e tinham todas as coisas em comum; e venderam suas posses e bens, e partilhavam-nas com todos, quando algum tinha precisão”. Uns poucos versos à frente:

” E a multidão deles que acreditava foram de um coração e uma alma; nem dizia qualquer deles que qualquer coisa que possuísse era sua própria; porque tinham todas as coisas em comum”. Da mesma forma lemos no EVANGELHO ESSÊNIO HUMANO DE JESUS:

…e aqueles que acreditavam doaram seus bens e posses e venderam todas as coisas e deram o que lucraram para as comunas, porque tomavam todas as coisas em comum e habitavam juntos em um lugar, ainda como o Cristo tinha lhes ordenado. Porque por assim proceder, eles cumpriam a lei de amor, mostrando toda ternura e bondade de Deus aos seus irmãos e irmãs e todas as criaturas nascidas da natureza “E muitas foras as comunas Essênias dos seguidores do Santo Caminho….aonde todos viviam de acordo com a Ordem do Reino e no Amor. Porque entre a s comunas, foi como exatamente Jesus falou…porque ali não existia fome ou sede por alimento espiritual ou físico, e o homem idoso e a viúva não eram expulsos, e o órfão e o afligido foram bem-vindos…E os santos de Deus foram como curadores entre a humanidade, ensinando as curas da natureza ao povo…. E nas nações foram conhecidos pelo nome de ‘Essênios’o que, quando traduzido significa, ‘curadores e salvadores do povo’; porque eles curavam cada mal  físico e espiritual de todos que desejavam  tornar-se seguidores do Caminho Essênio da Vida.”

Em relação a estrutura governamental e organizacional de outras comunidades Essênias, temos nova informação sobre a Comunidade de Monte Carmel no Norte de Israel e a Comunidade do Lago Mareotes no Egito. Em um manuscrito a ser publicado proximamente pela Igreja Essênia de Cristo, aprendemos que os Essênios de Monte Carmel e Mareotes seguiam o mesmo formato “um, Três, Doze e Os Muitos” como em Qumram, MAS COM UMA FASCINANTE VARIAÇÃO: eles a modelaram sobre a Árvore Essênia da Vida! Se o leitor está familiarizado com o desenho da Árvore Essênia da Vida na página 50 do livro de Edmond Szèkely From Enoch to Dead Sea Scrolls, lembrará que há sete braços e sete raízes. o braço central representa Deus, a raiz central representa a “Mãe Natureza”. Os outros seis braços representam várias forças espirituais, as outras seis raízes várias forças naturais. E no cento da Árvore da Vida está um ser humano sentado em uma postura de meditação.

O emprego que os Essênios de Carmel e Mareotes faziam dos “Um, Três, Doze”  estavam ligado a “Árvore da Vida” como segue: o “Um”(o Mestre de Justiça ou, em Hebreu, “Moreh Zadik”) estava ligado ao ser humano no centro da Árvore; o “Concílio dos Doze”estava ligado aos seis braços e as seis raízes (menos o  braço centra e a raiz central); os “Três Sacerdotes Principais” estavam ligados aos três braços da porção alta esquerda da Árvore : Amor, Sabedoria e Poder. Cada Ano Novo. o Mestre de Justiça anunciava os nomes daqueles Essênios serviriam como o Concílio da Árvore da Vida”. Quando o Mestre de Justiça e o Concílio dos Doze reuniam-se, uma pessoa específica representava cada um dos seis braços e raízes ; por exemplo, Jaime teria representado o braço da Sabedoria, João o braço do Amor e Pedro o braço do Poder (Poder é “Manifestação”) . Os encontros começavam belas músicas, cantos, recitações baseados nas Comunhões da Árvore da Vida. Uma destas músicas parece que foi a base para o “Hino de Jesus” Gnóstico: os doze giravam num círculo em torno do Mestre de Justiça, que estava sentado numa postura de meditação no centro (exatamente igual ao desejo da  Árvore da Vida). Também encontraremos referência a isto no Evangelho dos Doze Santos, na ‘ Última Ceia’:

” E a noite o Mestre veio na casa, e ali estava reunidos os Doze com Ele..E estavam todos trajados em vestes de linho branco…” ” E quando haviam cantado um hino, Jesus postou-se no meio de seus apóstolos, e circulando-O como seu Centro, como em uma solene dança, eles regozijaram…”Após os cantos e rituais da Árvore da Vida, o “encontro de negócios”era iniciado. Em oração, o grupo pedia que o Braço Central – Deus – e a Raiz Central – a Mãe Natureza – estivesse com eles e guiasse todas suas decisões no encontro. Desta maneira, todos os quatorze braços e raízes eram representados nos encontros: doze por seres humanos, dois _ Deus e a Mãe Natureza – por sua própria presença espiritual. O Moreh Zadik (“O Mestre de Justiça” ou o “Sacerdote Principal”) representava o ser humano no centro da Árvore. O Moreh Zadih era uma posição de longa duração; os outros serviam períodos de um ano mas poderiam ser reempossados na Cerimônia de Nomeação do Ano Novo para outro período anual: Freqüentemente serviam muitos anos, alguns até a morte, como não havia limite para o número de períodos de anos consecutivos que poderiam servir. Estamos contando que o Moreh Zadik devia se isolar por vários dias no fim de cada ano e fazer um jejum. Então devia invocar a presença do Braço Central – Deus – e a Raiz Central – A Mãe Natureza – e pedir por orientação na seleção das pessoas para o Concílio dos Doze para o ano vindouro. Utilizando técnicas espirituais avançadas, entrava em profunda comunhão com Deus e a Mãe Natureza que culminava na escrita de doze nomes. Ao lado do Moreh Zadik, três outras pessoas eram requisitadas para ser vegetarianos crudívoros: Os Três Altos Sacerdotes (conhecidos como “Malik” ou “Iluminadores”) que representavam os braços Amor, Sabedoria, e Poder. O restante do Concílio era requisitado para serem apenas vegetarianos, mas usualmente eram também crudívoros vegetarianos (Até a publicação, não estamos permitidos dar relatos diretos do manuscrito de Carmel, mas uma coisa é muito clara, os manuscritos traduzidos por Edmond Szekely que ele supunha serem de Qumram eram na verdade de Carmel e Mareotes nem uma simples menção das Comunhões da Árvore da Vida ou da Paz Sétupla são encontradas nos Pergaminhos de Qumram  MAS OS MANUSCRITOS DE CARMEL – que também descreve Mareotes – ESTÁ REPLETO DE REFERÊNCIAS À ÁRVORE DA VIDA E A PAZ SÉTUPLA.)

Como no grupo de Qumram, o termo “Os Muitos” também foi muito importante em Carmel e Mareotes. Da mesma forma como em Qumram, a hierarquia  em Carmel e Mareotes dirigia os assuntos da igreja, MAS PERMITIA  AOS “MUITOS” – todos os membros da comunidade em boa situação – TOMAR TODAS AS DECISÕES EM RELAÇÃO A VIDA DIÁRIA NA COMUNIDADE.

COMO AS ANTIGAS VILAS COMUNAIS ALIMENTAVAM-SE? Primeiro, devemos nos lembrar que os antigos Essênios eram VEGETARIANOS ESTRITOS. Muitos deles comiam somente frutas cruas, vegetais, grãos germinados, acompanhados com produtos lácteos crus, nunca ingerindo alimentos cozidos. Apesar de alimentos cozidos serem recomendados, o único requerimento era não comer carnes. Mas a nossa questão não é O QUE eles comiam mas COMO eles o faziam. Um coisa é convidar mil pessoas a viverem juntos em nossa terra; é totalmente outra alimentá-los todos! Um estudo proveniente de várias fontes nos provê com a resposta: OS ESSÊNIOS ERAM MESTRES ARBOCULTURISTAS E PASTORES (um arboculturista é aquele que planta árvores; no caso dos Essênios, nozes e árvores frutíferas). Edmond Szekely, em FROM ENOCH TO THE DEAD SEA SCROLLS , escreve:

” Os Essênios viviam nas margens dos lagos e rios, longe das cidades e vilas, e praticavam um modo de vida comunal, compartilhando igualmente em tudo. Eram principalmente arboculturistas e agriculturistas, tendo um vasto conhecimento de podas, solo e condições climáticas que os capacitava para produzir uma grande variedade de frutas e vegetais em áreas comparativamente desertas e com um mínimo de trabalho.”Em relação a referência acima “um mínimo de trabalho”, escavações de ruínas da comunidade Essênia de Qumram revelaram que eles faziam uso de sofisticado sistema de irrigação de gotejamento para aguar seus jardins e hortas. Durante a curta estação de chuvas canalizavam a água da chuva que fluíam as falésias circundantes em imensas cisternas para guardar para e aguar seus jardins o resto do ano. Eram mestres da compostagem e adubagem, os maiores jardineiros orgânicos para a permanente graça da terra. E outra seção do mesmo livro, Szekely deixa claro que eles não eram capazes somente de alimentar seus próprios membros, mas freqüentemente tinham suficient4e sobra de alimento para alimentar os pobres das cidades vizinhas:

” Tinham grande proficiência agricultural…produzindo uma grande variedade de frutas e vegetais da mais alta qualidade e em tal abundância que eles periodicamente tinham um excedente para distribuir para os necessitados”.Enquanto muitos dos membros das vilas comunais trabalhavam em jardins, nem todos o faziam.

E o que nos traz para a próxima questão: COMO AS ANTIGAS VILAS ESSÊNIAS EMPREGAVAM SEUS MEMBROS? Em seu excelente livro The Mystical Christ, Manly hall relata:

” Todos aqueles que procuravam refúgio no estabelecimento não tinham inclinação para continuar suas ocupações anteriores, eles não tinham habilidade especial adequada para seu novo modo de vida. Estes cultivavam a área circundante e realizavam trabalho quanto seria requerido para o bem comum. Alguns aprendiam por si mesmos novas  profisões e negociar. Não há ociosidade entre os Essênios… O grupo não era financiado pelo Estado; era suportado inteiramente po seus membros , cujo ganho de empreendimento justo era tomado no bem comum. O termo ‘empreendimento justo’ era interpretado como trabalho honesto e honrado. Nenhuma atividade era considerada superior a outra. Cada um daqueles que ingressava concedia seus talentos e habilidades, mas os praticava somente de acordo com suas convicções de consciência”Vemos acima que um novo membro de uma comunidade Essênia podia assumir sua antiga ocupação SE ELA ESTAVA EM HARMONIA COM OS ENSINAMENTOS ESSÊNIOS. Se o antigo trabalho não podia ser retomado por questões de consciência, o novo membro ou trabalhava na fazenda comunal – lavanderia, carpintaria, trabalhos na cozinha, etc. – ou aprendia uma nova profissão. Hall prossegue informando-nos que alguns Essênios eram absolutamente ricos antes de juntarem-se as comunas:

É um erro assumir que os Essênios eram apenas agricultores e artífices. Alguns eram eruditos ou ricos mercadores ou negociantes de sucesso. Cada em seu próprio caminho convenceu-se de que era impossível continuar as práticas que ofendiam sua alma. Tinham, portanto dividido seus bens , doado suas propriedades , encerrado suas carreiras mundanas e retornado para sua fé natural de seus pais. “Alguns dos Essênios trabalhavam como professores. Hall escreve:

” Aqueles da comunidade cujo nível intelectual era alto podiam estar ocupados dos acontecimentos históricos da seita.  Essênios foram selecionados como professores dos jovens e oficiais romanos residentes na Palestina escolhidos destes místicos, preferindo-os aos eruditos de outras seitas Judaicas ou de tutores enviados de Roma. Sob a gentil guia destes homens bondosos, as crianças recebiam não somente ensinamento, mas também iluminação.” Alguns Essênios trabalhavam como médicos. Hall relata:

” Alguns Essênios praticavam a medicina e curavam o doente…Estavam especialmente atentos dos pobres, que não podiam pagar para contratar médicos. Quando um médico Essênio atendia um paciente, não somente prescrevia um remédio, mas também limparia a casa, consertava e lavava e qualquer outra tarefa que o enfermo tinha interrompido. Se algum presente era imposto para ele por alguém agradecido, era colocado no armazém geral da seita.”Outro autor, Robert Chaney, concorda que muitos Essênios eram curadores. Em seu livro fascinante, The Essenes and their Ancient Mysteries, ele nos informa que uma comunidade Essênia era especialmente famosa por seus curadores habilidosos :

” Os Therapeutae, consistiam daqueles Essênios que se ocupavam da arte da cura. A palavra ‘Essênios’ no Aramaico próximo equivalia ao significado de ‘curadores’….Um ramo dos Essênios localizados próximos do famoso Lago Mareotes no Egito, era amplo e distintamente conhecido por suas proezas na área de cura. Sugeriu-se que o jovem Jesus recebeu sua primeira instrução nas artes da cura dos praticantes desta comunidade curadora Essênia “Tendo estabelecido que as vilas Essênias comunais tinham muitos curadores peritos vivendo entre eles, agora é o momento perfeito para responder a questão anteriormente prometida:QUE TIPO DE CUIDADOS DE SAÚDE ERAM PROPORCIONADOS PARA SEUS MEMBROS? Hall deixa claro que os ingredientes mais importantes do “plano de cura”para os membros eram o amor e o compromisso

” Àqueles que estavam doentes ou feridos era devotado cuidado constante e supridos de toda a necessidade até o fim de suas vidas”. Mas qual forma de cura era usada? Surpreendentemente, os antigos Essênios vinte séculos atrás eram praticantes do que hoje consideramos “nova”e chamada  “medicina holística”. Daniel Maziarz, em seu proeminente livro THE ANGELIC WAY OF LOVE, nos informa:

” Bastante curioso, as práticas de saúde dos Essênios estão fazendo hoje um retorno estrondoso sob os nomes de saúde holística, naturopatia, medicina preventiva, Ayurveda, e outros Crescente número de pessoas estão preferindo seguir os meios naturais de aumentar sua saúde que eram empregados também pelos antigos Essênios: · nutrição, especialmente o poderoso efeito de alimentos naturais específicos para prevenir e curar doença · exercícios respiratórios · cultura física de várias formas · ervas · jejum · massagem · helioterapia (Sol) · hidroterapia (Água) · jardinagem · o uso de pedras preciosas e semi-preciosas”Robert Chaney, em seu livro anteriormente mencionado, descreve as práticas curativas Essênias:

“.Três princípios básicos fora seguidos pelos Essênios em suas curas… Primeiro, acreditava-se que a Divindade estava expressa no reino vegetal como um antídoto para a doença do reino humano, que para cada doença existia um paliativo em uma raiz, folha ou casca de árvore ou planta. Os Essênios foram portanto herbalistas no mais alto sentido da palavra.” ” Um segundo método de cura era fazer uso de  “pedras curativas” – pedaços de várias espécies de rocha ou terra endurecida… O poder de tais pedras influenciando campos magnéticos sob a direção de alguém versado neste tipo de terapia tornou-se conhecimento comum em um período posterior. Os Essênios também criaram pomadas de fontes naturais. O barro e o cuspe que Jesus prescreveu para o cego bem pode ter se originado desta fonte”.  ” O Terceiro método de cura no qual os Essênios eram extremamente bem versados fluíam dos poderes curativos dos mundos invisíveis em torno deles. Eles adquiriram uma mestria sem paralelos destes poderes curativos das esferas superiores….”Em uma antiga escritura Essênia publicada pela Sociedade Edenita, O Evangelho Humano de Jesus, Lemos:

“E Jesus fez sarar cada enfermidade e doença entre os enfermos, ensinando ainda o povo a arte da verdadeira reforma da saúde de acordo com as leis naturais da saúde. Verdadeiramente, porque Ele ensinou ao povo as propriedades curativas das plantas, ainda cada erva e capim do campo e o poder oculto daas pedras, e o milagre purificador da água pura. E muitos ficaram estupefatos e acreditaram e foram curados”.Duas questões mais devem ser feitas em relação as vilas Essênias comunais. Como eles tratavam as crianças? Como Eles tratavam os idosos? O coração – ou a falta dele – de qualquer comunidade ou nação revela-se na maneira como eles tratam as suas crianças e pessoas idosas.

COMO OS ESSÊNIOS TRATAVAM AS CRIANÇAS? Hall escreve:

” Os Essênios tomavam as crianças em especial consideração…Treinavam estes pequenos e estavam atentos as suas inclinações e habilidades naturais. Quando estas crianças atingiam a maturidade, não estavam de nenhuma forma obrigados a aceitar os ensinamentos ou tornar-se membros. Podiam escolher fazê-lo ou não, como lhes agradava”.Ainda as comunidades celibatárias Essênias amavam as crianças e cuidavam dos órfãos. Hall relata-nos: “A ordem adotava órfãos e os criava com toda ternura.”

E SOBRE A VELHICE? Como eram os membros das vilas comunais Essênias tratados quando eram demasiado idosos para trabalhar? Após tudo, não havia tal coisa como Segurança Social sustentando-os! Hall relata:

” Os idosos eram tomadas na mais elevada estima, e era recordado que haviam trabalhado fielmente e amorosamente como sua fortaleza permitiu. A eles foram dadas.. devotado cuidado e proteção das necessidades até o término de suas vidas”A vida comunal Essênia estava baseada em um conjunto de regras de conduta, disciplinas espirituais e práticas de modo de vida chamadas o “HALAKOTH ESSÊNIO”.  A Halakoth Essênia foi impartida por sua linhagem de chefes sacerdotes chamados MESTRES DE JUSTIÇA e atingiu seu zênite com o MESTRE PROFESSOR DERRADEIRO, YAHSHUA HA MASHIAKH (Jesus, o Cristo). O Halakoth Essênio era de fato uma SISTEMA YÓGICO ; Ele unia os sete sistemas yógicos básicos numa grande síntese. A YOGA ESSÊNIA incluía: RAJA YOGA (meditação silenciosa); HATA YOGA (posturas físicas e trabalho respiratório); BHAKTI YOGA (Amor e devoção a Deus); GNANA YOGA (estudo espiritual e discurso); LAYA YOGA (a ciência do uso dos chacras para produzir altos estados de realização espiritual); KARMA YOGA (trabalho criativo para o crescimento de todos); MANTRA YOGA (oração verbal, música ou canto). Central para a Yoga Essênia era a prática do estilo de vida chamado A PAZ SÉTUPLA que incluía uma prática de meditação chamada COMUNHÕES COM A ÁRVORE DA VIDA (Detalhes específicos sobre como praticar os vários aspectos da Yoga Essênia – incluindo a Paz Sétupla e Comunhões – são proporcionadas nos livros  e vídeos de nosso catálogo e na própria Igreja Essênia de Jesus Cristo

É da maior importância se dar conta que o êxodo Essênio das decadentes, cidades “mundanas” para formar as vilas comunais Essênias, NÃO SIGNIFICAVA QUE ELES ABANDANORAM O MUNDO ou abandonaram as pessoas que deixaram atrás nas cidades. Um dos principais propósitos de deixar as cidades para formar vilas Essênias comunais era tornar-se CÉLULAS VIVAS DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL PACÍFICA, exemplos para o resto do mundo. Também, parte da prática Essênia de “Tikkun Olam”(“participar ativamente na cura e na transformação do mundo”) era enviar professores Essênios e curadores para as cidades.

Em seu excelente livro DE ENOCH AOS MANUSCRITOS DO MAR MORTO, Edmond Bordeaux Szèkely escreve:

Os Essênios sabiam que não havia fuga deste círculo de opressão, ódio e violência, guerras e revoluções, exceto através da separação da ignorância dos indivíduos do mundo..” “As soluções que os Essênios ofereceram para a harmonia social e econômica pode ser aplicada em qualquer momento, no presente assim como no passado. Ela contém quatro fatores: 1. Separar-se das caóticas condições de massa da humanidade que recusa a odecer a lei cósmica; 2. Demonstrar um sistema social prático baseado na lei cósmica e natural; 3. Comunicar estas idéias para o mundo exterior através do ensino, cura e ajuda dos outros de acordo com sas suas necessidades; 4. Atrair para as suas comunidades outros indivíduos que estão suficientemente evoluídos para estar desejosos a cooperar com a lei. É correto dizer que você pode julgar uma árvore pelos frutos que ela produz. Baseado nos relatos de escritores que foram contemporâneos dos Essênios, podemos concluir que as vilas Essênias comunais foram muito “Arvores” muito eficientes para a produção de belos e maravilhosos seres humanos. Considere a reverência dos contemporâneos tais como Plínio, Josefus e Filo; esses homens verdadeiramente conheceram os Essênios e disseram deles:

“Um raça por eles próprios, mais notável do que qualquer outra no mundo”. — Plínio

“Eles mostravam mais amor do que os outros , e viviam uma vida mais ética. Acertadamente mereciam ser chamados um exemplo para a vida de outras pessoas” — Josefus  “Viviam cada dia em constante e inalterada santidade.” — Filo 

Hall apresenta a vida dos Essênios em enaltecedores termos:

“Os Essênios resolveram viver pelas leis de Deus em um mundo de homens… Ao permitir simplesmente que a consciência guiar a consciência e a consciência governar a conduta, os Essênios revelaram o plano básico para a sociedade humana Mais devotadamente praticavam estes princípios, mais óbvio se mostrava que o programa era possível e prático….Por amar e servir seus semelhantes homens,m os Essênios descobriram em seus próprios corações o Deus de Amor e serviço”.

Tendo completado nosso apanhado dos antigos Essênios, concluiremos com um CONVITE PARA PARTICIPAR NA ATUAL IGREJA ESSÊNIA DE JESUS CRISTO.

 

Convite para Participar

 

Nos manuscritos antigos Essênios usados por nossa igreja, Jesus previu que seus inimigos alterariam seus ensinamentos após sua crucificação e sua igreja se tornaria corrupta Ele estava certo.  Após a crucificação de Jesus, não muito tempo depois sua igreja foi tomada por seus inimigos, e seus verdadeiros seguidores foram executados como “heréticos”.A Cristandade tornou-se então uma religião estatal, regida por reis corruptos através de seus papas-títeres. Eles alteraram os registros sobre a vida e ensinamentos de Jesus; removeram todas as referências aos Essênios e eliminaram os ensinamentos de Jesus sobre vegetarianismo, reencarnação, o aspecto feminino  de Deus e muito mais. Aquela foi “uma Era Negra”; Jesus previu tudo isto. Mas também previu uma “Era de Luz” na qual sua IGREJA ESSÊNIA retornaria e seus verdadeiros ensinamentos seriam semeados. E FOI ISTO EXATAMENTE O QUE ACONTECEU! Em torno de vinte anos após a crucificação, Paulo, – quem nunca encontrou Jesus – separou-se da Cristandade Essênia Nazarena vegetariana e inaugurou um ramo carnívoro da Cristandade.Os apóstolos originais que tinham verdadeiramente conhecido e sido treinados por Jesus, continuaram a conduzir o movimentos Cristão Essênio Nazareno e recusaram a participar na versão corrompida de Cristandade fundada por Paulo; os antigos apóstolos – incluindo Jaime, Pedro, João e Tomé – declararam que Paulo estava alterando os verdadeiros ensinamentos de Jesus. Porque Paulo eliminou a doutrina de Jesus sobre vegetarianismo – e outras práticas de modo de vida que pareciam difíceis de seguir – e as substituiu por um fácil (e falso) sistema de salvação baseado em meramente crer na morte sacrificial de Jesus, sua versão mundana de Cristandade cresceu para seu muito maior do que a versão Essênia Nazarena. A Cristandade de Paulo – “Paulinidade” – evoluiu na Igreja Católica Romana. Mas então, no quarto século, a Igreja Católica – tendo se tornado em uma grande religião estatal -enviou sua armada para exterminar (como heréticos) os Essênios Nazarenos. Quase todos os Essênios foram mortos e a maioria de seus livros (que continham os verdadeiros ensinamentos  de Jesus) foram queimados.  Daquele momento em diante, a Cristandade Essênia Nazarena existiu somente em pequeno numero como uma oculta religião invisível ao mundo exterior, enquanto a Paulinidade espalhava-se por todo o planeta usando a força e a violência extremas. A  principal Cristandade atual – Católica e Protestante – está baseada mais nos ensinamentos de Paulo do que de Jesus e devia ser denominada “Paulinidade”  . Afortunadamente, os livros originais da Cristandade Essênia Nazarena não foram todos destruidos; alguns foram escondidos e estão agora em nossa posse :COMO JESUS PROFETISOU, SUA IGREJA ESSÊNIA RETORNOU E SEUS VERDADEIROS ENSINAMENTOS ESTÃO NOVAMENTE DISPONÍVEIS!

A Igreja Essênia de Jesus Cristo declara em virtude disto que o dia abençoado da restauração da verdadeira igreja e ensinamentos de Jesus Cristo CHEGOU! Acreditamos que somos a aquela igreja genuina, e que somos os guardadores autorizados e principais disseminadores daqueles ensinamentos verdadeiros.

Nós NÃO acreditamos que somos a única “boa” igreja, ou que outras igrejas são “más”; de fato, estudamos a sabedoria onde a encontramos – ainda em outras igrejas e religiões. Mas acreditamos que somos a verdadeira REENCARNADA IGREJA DE JESUS, O ESSÊNIO e que fomos escolhidos por Jesus para impartir seus ensinamentos autênticos neste preciso momento da história planetária – O VÉRTICE ENTRE AS ERAS. Acreditamos que os líderes de nossa igreja são Essênios reencarnados; eles trabalharam direta e sob a orientação de Jesus 2000 anos atrás e retornaram agora para ajudá-Lo com seu trabalho atual.

Estamos entrando agora no vértice entre as eras. Estamos próximos ao fim da Era de Peixes (introduzida por Jesus por volta de 2000 anos atrás), e logo entraremos na Era de Aquário. Profecia Essênia estabelece que os antigos Mestres Essênios reencarnariam neste momento (e reencarnamos!) para preparar o caminho para o reaparecimento de Jesus Cristo. Estes são tempos  excitantes e desafiadores! Voce pode estar na vanguarda deste TRABALHO ABENÇOADO através da afiliação com a Igreja Essênia de Jesus Cristo.

Faço aqui um convite : EU O CONVIDO A PARTICIPAR NO TRABALHO ABENÇOADO DA IGREJA ESSÊNIA DE JESUS CRISTO! Estamos no momento, plantando congregações de nossa igreja em todo o mundo. A igreja mantém muitas atividades incluindo treinamento especial para Ministros, uma Escola Essênia de Mistérios e Encontros Nacionais Essênios. BREVE NASCERÁ MAIS UMA COMUNIDADE ESÊNIA QUE SERÁ O CENTRO DE DIFUSÃO DE SABEDORIA ESSÊNIA EM NOSSA TERRA.

Se você apreciou ler a retrospectiva dos antigos Essênios neste artigo e se sente movido a participar no trabalho da atual Igreja Essênia de Jesus Cristo,

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

O Momento Chegou!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s