O Mestre, o Ungido, o Filho de Deus


Essa geração procura fora o que está dentro e tudo enxerga literalmente, sem significado, morto, estéril.
As religiões decaídas e pervertidas, que perderam a ligação com a origem, contribuem para afastar ainda mais os homens do espírito, do invisível.
Precisamos de instrução, de ajuda, certamente e ainda mais, de exemplo. Um obstáculo, por outro lado, é achar que há algum salvador externo que pelo seu sacrifício, pelo seu sangue, promove uma salvação vicariante. Isso se constitui em impedimento, porque só há, finalmente, um caminho pessoal, autônomo – somos feitos seres auto-evolutivos, capazes de um crescimento e transformação voluntária e consciente. Nenhum progresso pode ser dado, feito, forçado, produzido de fora por um ser poderoso – isso é um engano e ilusão mágica, supersticiosa. Há um caminho e esse precisa ser percorrido por cada pessoa que se interesse e se esforce – não há como pular etapas e progredir sem compreender, e isso é interior!
O Mestre é o homem espiritual, que está dentro, oculto e invisível. O mundo é um meio adequado para essa busca interior, essa descoberta e tudo o que nos acontece precisa ser transformado em energia, em conhecimento para esse encontro. Tomar a vida como Trabalho, como serviço ao Mestre desenvolve a Vontade e daí, a Consciência Espiritual. No Mestre está o gérmen da perfeita omnisciência, Ele é o Instrutor não limitado pelo tempo, o Mashiakh, o Filho de Deus. Não será encontrado fora, aqui ou alí! Ele é Espírito, portanto, invisível e interior, dentro de cada um de nós. Os sentidos são necessários, apenas.
Não podemos entrar no céu tal como estamos, com esse corpo material e com essa semi-consciência. Um renascimento, um segundo corpo precisa crescer e nascer dentro de cada buscador. O templo adequado precisa ser preparado, purificado. Como somos e estamos agora, somos apenas um meio para que a essência possa crescer e não Eu Real, o Filho de Deus, mas devido a nossa condição psíquica, o opositor, o enganador. Tal como estamos, somos o alvo da auto-transformação necessária. Se o Mestre Yaohúshua não tivesse partido, não poderia nascer em cada um daqueles que buscam o Mestre interior, porque o trabalho é pessoal e íntimo. Isso precisa ser compreendido. O Mestre não é uma pessoa, mas você mesmo quando livre dos obstáculos psíquicos.

Sob a Ditadura da OMS


A “lei” da pandemia, declarada pela OMS com base em dados falsos e falsificados foi imposta aos brasileiros com um texto inconstitucional e ditatorial.
Na prática, estamos sob governo internacional: ONU, em conluio com o país que provocou a crise e não teve mais do que 10.000 mortes e hoje está completamente aberto e sem nenhuma medida restritiva para seus cidadãos e SEM VACINA!
O atual governo impôs aos cidadãos uma ordem internacional de maneira indevida e ilegal. Não elegemos a ONU nosso governo! Ao invés de analisar a emergência declarada pela OMS, simplesmente ela foi tomada como verdadeira e imposta por força de uma lei perversa e abominável que nos anulou todos os direitos. A oposição e o STF aproveitaram desse mal passo para jogar o país na pior crise de saúde, institucional e política jamais vivida antes.
É muita incompetência e temeridade. Nunca antes estivemos sob um regime ditatorial tão hediondo, e esse atual, com lei aprovada pelo Congresso e sancionada pelo presidente que nos libertaria!
Não passamos de súditos da ONU! Fomos reduzidos a palhaços e ao escárnio daqueles que planejaram toda a farsa da pandemia. Os ditadores de plantão, colocados no poder absoluto e irrestrito pelo STF continuam livres para agredir o povo e a falsificar tudo relativo a falsa pandemia.

“O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1º Esta Lei dispõe sobre as medidas que poderão ser adotadas para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019.
§ 1º As medidas estabelecidas nesta Lei objetivam a proteção da coletividade.
§ 2º Ato do Ministro de Estado da Saúde disporá sobre a duração da situação de emergência de saúde pública de que trata esta Lei. (Vide Decreto nº 10.538, de 2020)
§ 3º O prazo de que trata o § 2º deste artigo não poderá ser superior ao declarado pela Organização Mundial de Saúde.”

A Revolta


O homem médio, seguindo seus líderes, todos muito mais estúpidos que a própria turba ignara, declararam a criação defeituosa, aquele mesmo pecado do Anjo Caído que resultou na sua expulsão do céu.


Estão construindo um universo “humano” e os resultados desastrosos estão explícitos e se repetem por toda a história.
Fizeram do planeta uma prisão, um lugar de dor e desespero e insistem em repetir, à exaustão, que nunca estivemos tão bem e que tudo ficará “ainda melhor”! A ciência e a tecnologia não só não salvaram e não melhoram a vida, como a tornou no pior dos infernos.


As civilizações se erguem e caem e os erros se repetem e a verdade é negada.
As contradições são flagrantes, mas o estado psíquico e de consciência é tão medíocre que os fatos não são reunidos e nenhum significado visto. Tudo recomeça de qualquer ponto, caoticamente. Em psicopatologia chamamos isso de estado dissociativo, de esquizofrenia. E se algum temerário apontar os erros e contradições, sua vida não valerá um vintém.


É evidente que o mundo criado pelo homem, que nega a Lei, a Criação é inabitável e destrói a possibilidade de crescimento, de ser humano. São condições artificiais, estúpidas, antinaturais, pervertidas e que pervertem.
Na medida que o essência decai, a vida que é atraída por ele, acompanha. Não se pode mudar o exterior sem mudar antes, o interior. Nenhum mundo paradisíaco pode ser criado por máquinas, por super governos. O sonho de crescimento e melhora de fora para dentro é impossível. O inferior jamais evoluirá no superior – a vida não vem da matéria, a consciência não vem da química cerebral, o homem não evolui da ameba.
Sobre essa revolta e seu resultado desastroso é interessante trazer uma ideia do Cristianismo Esotérico:


A Aceitação Radical da Vida
“Tudo o que acontece para alguém na vida é a melhor coisa que poderia acontecer-lhe, se ele a toma como Trabalho – como um meio de desenvolvimento. Você se dá conta, de modo prático, como você é criado como um organismo auto evolutivo. Você não mais toma a vida como um fim em si mesma ou espera ela ser como você deseja, mas você a toma como um meio para um fim.”

A Base do Ensinamento do Mestre

A base do ensinamento do Nazareno Essênio Ebionita, Yaohushua, é a purificação das funções através de hábitos corretos de vida, de seguir a lei natural e, entre os menores mistérios está o da alimentação pura que não signifique a morte.
Os hipócritas fazem “qualquer coisa”, menos isso! Querem satisfazer seus vícios e para isso rejeitam a parte do ensinamento que lhes pede uma mudança razoável e bondosa. Esse é o primeiro passo no Caminho e não pode ser ignorado – não pode ser contornado. Partilhar da mesa dos demônios impede todo o progresso. O instrumento para a salvação é o nosso corpo. Não haverá o renascimento, um segundo corpo, se não fizermos desse primeiro que nos foi dado como meio para o crescimento e, a gestação do segundo corpo, um templo puro. O corpo deve ser o templo do Espírito e o Espírito será o templo de Deus. Qual a dificuldade de compreender isso?
Se preparar para o renascimento, sem o que não haverá ascensão, começa com o cuidado com a saúde. Deus não pode habitar um corpo podre, contaminado com toxinas, uma mente perturbada, em meio ao desequilíbrio das funções. Ele nos dotou com um corpo excepcional e com grande potencial. E o que fazemos? Queremos gozar os nossos prazeres pervertidos! O primeiro degrau da íngreme escada que leva ao céu, começa em cuidar desse patrimônio, de reverenciar a vida e a pureza.
Muitos estão em um profundo sono hipnótico. Alguns terão a chance de ser tocados por influências do mundo invisível, da humanidade consciente, também ainda que pela dor e pela destruição de seus sonhos tolos. Mas, a grande maioria não despertará e/ou não quer.


O nível mental e emocional é tão baixo que nem as coisas da natureza, através dos sentidos, são recebidas. As pessoas estão doentes, física e mentalmente. Estão tão rebaixadas em suas funções que não têm energia e capacidade para as coisas mais diretas e simples. Imaginam que são credoras e que devem ser pagas e mimadas. Qual a chance de saírem bem disso?
Querem ouvir só aquilo lhes agrada, que não signifique seguir qualquer regra, fazer qualquer sacrifício. Chegamos a isso!
Na verdade, são zumbis, estão mortos interiormente – são carcassas vazias – a alma já apodreceu ou as deixou. O que é mais desesperador é assistir os crédulos achando que há saídas políticas nesse ambiente perturbado. Não há nada que fazer aqui e o risco de sofrer o mesmo destino desses, ao aceitar conviver e apoiar essa associação de insanos, é absoluta.
O grau de perversão dessa sociedade é um impedimento real ao progresso interior, à auto evolução possível ao Homem.

Considerem em sair daqui como fizeram os hebreus do Egito e os Essênios das cidades na Palestina e Síria!

Quem se salvará?

O País tem um Núcleo de poder Criminoso
Pessoas que vivem da mentira, do engano, do roubo, de receber benefícios indevidos, de corrupção, que significam o prejuízo de outros, de se ocupar de ideologias que implicam em escravidão, em miséria para os semelhantes, de ideologias que fazem uso da violência, ameaça e da revolta pelo poder, são psicopatas e sociopatas que escalam postos na sociedade por meios escusos e beneficiam seus iguais para cometer crimes como eles. Não são humanos, mas predadores perigosos. São eles que estão efetivamente no poder!
Entre as espécies inferiores, os líderes são realmente os mais fortes e os mais capazes. Na espécie humana, são os piores, os mais perigosos e prejudiciais a sociedade.
Como chegamos a isso e por que isso piora visivelmente?
O contato com o Círculo Consciente da Humanidade, com os Centros Superiores, com a Lei – Deus, se rompeu e a civilização se encaminha miseravelmente para a decadência e destruição.
O Homem máquina, função e construído pelos sentidos é um títere passivo e num sono hipnótico. Ele se acha capaz de fazer, se imagina consciente e que sua obstinação seja, supostamente, Vontade – quando é só uma máquina biológica reativa, sem um Eu Real, mas um ajuntamento desconexo de eus que são produtos de sua relação com seu meio. Esse meio, essa sociedade, essa civilização está apoiada em falsos valores e doutrinas. O resultado é uma coisa, meio humana, um saco de emoções negativas, fraco, desvitalizado e dependente – o homem “civilizado”!
Somente um êxodo, com a formação de congregações, sob direção consciente e regidas pela Lei, poderão sobreviver, eventualmente, a carnificina e opressão absoluta que já desponta inegável. O final catastrófico não pode ser evitado. Algumas ilhas e arcas podem preservar grupos mais conscientes.
Investir e compactuar com qualquer coisa do sistema vigente é se condenar e logo ser abatido como uma ovelha pacifista e tola.
Retirar-se, sobreviver, se dedicar a se reconectar com os Centros Superiores é o único escudo eficiente contra o mal generalizado.
Há saída, mas tem preço e prazo. Compreender isso, é o primeiro passo para a salvação do dilúvio, que já começou.
Despertem, amigos!

A Desconstrução da Visão


Os sentidos se constituem na base da construção da realidade e do pensar lógico. Os sentidos são absolutamente necessários, mesmo que não suficientes. A queda da capacidade do pensar, o rebaixamento da inteligência é evidente e indiscutível nas últimas décadas e se acelerou na medida que a tecnologia avança e substitui as funções orgânicas perceptivas e as necessidades de sobrevivência por máquinas.
A hipnose comandada pelas máquinas, principalmente pelo avanço da eletrônica, é brutal e não pode ser vista como inócua ou só positiva. Na verdade, as consequências são problemáticas, negativas e destrutivas.
Os aparelhos emissores de luz estão substituindo a realidade tridimensional, a forma, movimento e cores por truques eletrônicos, que de nenhuma maneira são reais, mas se esforçam por substituir o mundo por um modelo criado pela tecnologia. Isso tem consequências graves para o pensar e o comportamento.
O risco das pessoas verem o virtual pelo real e o real como virtual está acontecendo violentamente – e isso não pode ser negligenciado. A ajuda, as muletas tecnológicas ameaçam substituir a realidade física e a fazer do homem um mero apêndice de suas criações tecnológicas.
A quantidade de horas passadas diante de emissores de luz que simulam a realidade já tomaram o lugar do mundo real iluminado pelo Sol. A atrofia e a deformação do sistema nervoso central e de toda a fisiologia é permanente e irreversível. As crianças e os jovens são os mais atingidos em seu desenvolvimento e seu pensar e comportamento jamais será humano, mas um simulacro pobre e distorcido do que deve ser um ser humano vivendo em ambiente natural. A vida natural não é substituível por máquinas e o resultado dessa tentativa desastrada produz pessoas defeituosas e rebaixadas em suas funções.
Não é necessário entrar em detalhes sobre a fisiologia da visão para entender o estrago monstruoso de tudo o que se relaciona à visão submetida a tecnologia. Mas, é inegável que o dano é enorme e pode significar um prejuízo irrecuperável ao psiquismo humano.
As imagens iluminadas pela luz artificial são distorcidas porque são pobres em cores e ficam mais representadas como sombras fantasmagóricas do que coisas reais. Aos poucos, os receptores dos olhos vão perdendo sua capacidade de discriminação mais acurada. O mundo colorido e tridimensional foi substituído por imagens bidimensionais sem vida – a função de profundidade caiu em desuso. Fizeram do mundo uma Caverna de Platão! Os dias e as noites não se diferenciam e as estrelas não podem mais ser vistas.
A lógica, as funções psíquicas de raciocínio, emocionais e de movimento precisam do mundo real para se desenvolver e se manter. Esse mundo artificial altera e impede o uso pleno da visão e de tudo dependente dela.
A cura, se é que ainda há, é o retorno ao natural e a rejeição ao artificial.

A Desconstrução do Humano


Para quem tem uma mínima noção de biologia não é difícil de entender que a mudança do ambiente natural provoca alterações importantes no comportamento dos membros de uma espécie, sempre negativos, que resultam na decadência orgânica e extinção.


Aqueles que se ocupam da criação intensiva e extensiva de animais observam que ao mudar e separar animais de seu habitat resulta em alterações mutações e pestes. É comum que os assim chamados “criadores” lancem mão de drogas e vacinas na tentativa de evitarem perder todo o seu empreendimento.


O homem tem sido submetido as condições mais antinaturais, violentas, bizarras e inegavelmente danosas do que aquelas que impôs a todas as espécies animais aos seus cuidados. Chamam isso prosaicamente de “civilização”!
Não há um só elemento básico da vida que não foi alterado na sociedade. No passado recente, essas interferências foram resultado direto de um modo de vida e valores pervertidos, mas agora, as alterações são inegavelmente intencionais e maliciosas – o objetivo é a mudança na fisiologia, na psicologia, na biologia com o propósito de dominação e extinção.


O ar, a água, os alimentos, o solo, a luz e o calor, os sons, as influências psíquicas, as relações humanas, tudo tem sido intencionalmente alterado para produzir certos resultados, antes só reservados aos animais domésticos.
Sob essas condições antinaturais o Homem tem seu corpo e psicologia mudados e impedido em se manifestar e evoluir como humano. Como essas influências são hegemônicas, as pessoas que se mantém relativamente livres desse ambiente pernicioso e perverso, são vistas como anormais e perigosas.


Vamos abordar, na sequência, cada área de influência as consequências dessas mudanças e ilustrar, de maneira geral, como isso afeta você e seus semelhantes.

Seleção Natural?

Não enxergamos, não ouvimos, não sentimos, a maioria das coisas, mas aquilo que nossos sentidos alcançam é humano – ou seja, foi projetado para a vida e a evolução interior – exteriormente estamos prontos e estáveis – essa é a definição de ESPÉCIE.


Tudo aquilo que nossos sentidos não alcançam e, portanto, percebem com limitações e assim, com distorções, é uma porta aberta para a evolução dos sentidos psíquicos e espirituais. A extensão dos sentidos através da tecnologia é uma real ameaça a vida e uma substituição torpe às funções latentes interiores – são muletas!
Se um homem segue a Lei e trabalha sobre si mesmo, desenvolverá qualidades superiores e verá, ouvirá e sentirá muito além de qualquer tecnologia e acrescentará poderes inimagináveis.


O modo de vida assim chamado “civilizado”, aquele adotado pelos habitantes das cidades, destrói a saúde física e mental, embrutece e reduz o homem a um ser deformado e mesquinho.
Todas as condições naturais estão sendo destruídas e substituídas por artificiais, impróprias à vida, à saúde, às necessidades básicas do ser humano.
A água, os alimentos, o ar, o sol estão contaminados, impróprios ou faltantes. A luz artificial está destruindo a visão e ruído incessante e danoso perturba o equilíbrio e o pensamento com uma invasão brutal e antinatural. A tudo isso as pessoas estão se submetendo por uma promessa vã de segurança, conforto e garantias falsas. Toda a assim chamada ciência e a tecnologia resultante está sendo usada para destruir, submeter e escravizar. As cidades são cânceres implantados por todo o planeta. Sugam energia e apodrecem tudo e a todos.
Se, como a própria pseudociência acredita – que o homem seria um produto da Natureza, que chegou ao que é hoje exclusivamente devido as condições naturais, então tudo o que é artificial, antinatural, produto da tecnologia destruirá ao homem. As condições naturais são o fator essencial à saúde, à suposta “evolução” pela seleção natural, pela sobrevivência do mais forte e adaptado as condições naturais. É óbvio que caminhamos, portanto, para a sobrevivência daqueles que detém o poder, a tecnologia e que são justamente os que rejeitam as regras e leis naturais.

Logo a humanidade será composta de uma espécie de pervertidos, de tarados, de seres defeituosos que só sobreviverá através da química, da manipulação biológica – isso está acontecendo diante de nós, agora!
Aqueles que são fracos e defeituosos, que insistem em negligenciar e ignorar as leis naturais devem perecer – é a lei da vida! Mesmo que o autor discorde da ideia pseudocientífica de uma evolução inexorável casual, acidental, despropositada pela seleção natural, o ponto relacionado com não seguir a lei natural e a menor possibilidade de sobrevivência daqueles nascidos com defeitos, submetidos a condições impróprias ou defeituosos, é inexorável.

A interferência e a manipulação da natureza resultará na perversão da espécie e na incontornável extinção. Pertencer a espécie humana, “ser humano”, implica em se submeter as leis naturais em todas as suas manifestações e consequências. Deve-se insistir que isso não pode ser nenhuma decisão estatal, oficial, de governo, mas um desdobramento natural e justo que deve seguir seu curso sem interferência artificial.

Qual é o seu Preço?

Qual é o seu Preço?
Acordem desse sono hipnótico! A vida esterilizada, confortável, cercada pelas garantias e maravilhas da ciência e tecnologia é uma armadilha dolorosa e mortal.
As cidades são cânceres, tumores implantados na natureza, que sugam os nutrientes, o oxigênio e deixam resíduos tóxicos e podridão.
Só um êxodo para a natureza, para a aventura de viver na e da terra, simplicidade e amizade pode reabrir as portas fechadas do paraíso. A natureza é benéfica e amiga. Mentiram para você que ela deve ser dominada, subjugada e evitada. O preço que se paga por essa vida artificial e falsa é terrível.
Aprendam as leis naturais e vivam segundo elas. Não há outro caminho para a saúde e felicidade.
As complicações da vida “civilizada” cobram seu preço em sangue e desassossego – os 30 dinheiros não compram sua vida desperdiçada de volta. Parem de sonhar que algo nessa vida do mundo, “civilizada”, possa ser melhorada ou salva. A doença é terminal porque o veneno é mortal. Não há o que salvar aqui.

A Árvore Essênia da Vida e o retorno ao Éden.


A Luz Flamejante que gira para todos os lados é um guia, não é a maliciosa “espada flamejante” na mão do Querubim do texto bíblico oficial, para impedir o caminho para a Árvore da Vida! Essa luz a ser seguida é a luz da consciência que nos ilumina o Caminho para encontrar a Árvore e nos advertir dos obstáculos.
Temos um papel natural e também consciente a fazer no Universo – não somos obra do acaso e um acidente – temos significado e propósito.
Parte de nós pertence a Terra e parte ao Céu. É uma escolha ir além do natural. O Homem, voluntária e conscientemente pode se tornar um microcosmo, a representação integral do macrocosmo. As coisas não estão fora, mas mais, dentro. A transformação interior importa sobre e antes de tudo. O simbolismo da Árvore é que ela está em nós ao qual podemos chegar, é um estado possível e desejável – não adianta procurá-la fora, não é um lugar.
A Arvore da Vida representa a totalidade das forças e leis naturais e espirituais que estão a disposição do Homem. Essas forças e leis estão representadas por anjos. São sete poderes espirituais do Pai Celestial: Paz, Amor, Sabedoria, Poder, Vida Eterna, Trabalho Criativo, e a união de todos esses poderes no Pai Celestial. São sete as forças naturais da Mãe, a Terra: alegria, água, ar, sol, terra, vida e a união de todos esses poderes na Mãe, a Terra.
A Comunhão com esses catorze poderes e o caminho de volta para a Árvore da Vida, ou seja, para uma condição de perfeição e felicidade integrais que não pode ser obtida no mundo e é impedida por esse.
A condição “natural”, angelical, do Homem no Jardim do Éden deve ser perdida para ser conquistada voluntária e conscientemente pelo esforço, pelo sacrifício, pela busca interior dessa condição de harmonia. É exatamente por isso que o Homem é um experimento em auto-evolução interior, em crescimento da compreensão.
A confiança que o Criador deposita em nós e a responsabilidade que isso representa é merecedora de atenção, de reverência e admiração. Somos um elo importante na criação e podemos ser participantes ativos e conscientes, além de voluntários no nosso próprio crescimento e de todo o Universo.
Não somos obrigados, mas estamos convidados a participar dessa aventura cósmica e pessoal com o próprio Criador e seus poderes, os anjos, na administração da criação.